Wall Street abre na ‘linha de água’ depois de ‘rally’ da sessão anterior

Cerca das 14:40 (hora de Lisboa), o tecnológico Nasdaq aprecia 0,16 % para 11.486,70 pontos, e o financeiro S&P 500 ganha 0,15% para 4.086,10 pontos, enquanto o industrial Dow Jones recua 0,37% para 34.462,18 pontos. No mercado cambial, o euro valoriza 0,96% em relação ao dólar, estando a ser negociado perto dos 1,0513 dólares.

A bolsa de Nova Iorque abre a sessão desta quinta-feira com os principais índices na ‘linha de água’, depois de encerrar ontem a sessão em forte alta após o presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, ter dito que o banco central pode reduzir o ritmo da suas subida das taxas de juros já em dezembro.

A expectativa era que os mercados iniciassem este dia a recuar, mas só o Dow Jones segue essa predição.

Cerca das 14:40 (hora de Lisboa), o tecnológico Nasdaq aprecia 0,16 % para 11.486,70 pontos, e o financeiro S&P 500 ganha 0,15% para 4.086,10 pontos, enquanto o industrial Dow Jones recua 0,37% para 34.462,18 pontos.

Em relação ao preço do barril de petróleo, em Nova Iorque, o WTI sobe agora 2,81% para os 82,81 dólares por barril, e o Brent valoriza 2,20% para os 88,86 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro valoriza 0,96% em relação ao dólar, estando a ser negociado perto dos 1,0513 dólares.

Recomendadas

Fed conseguiu o esperado milagre de agradar a Wall Street

No dia em que a Reserva Federal deu mostras de moderação no aumento das taxas de juro, o mercado de capitais respondeu pela positiva, como não podia deixar de ser – com o Nasdaq a comandar. Resta saber quanto tempo durará o momento.

EUA: Powell reconhece primeiros sinais de alívio na inflação, mas é “prematuro declarar vitória”

O presidente da Fed afastou cortes de juros este ano, embora admita que a inflação começa a dar sinais de abrandamento. O caminho ainda é longo e a ‘aterragem suave’ continua em cima da mesa, tal como uma taxa terminal abaixo de 5%.

EUA: Reserva Federal abranda ritmo de subida dos juros com mais 25 pontos base

O mercado já antecipava esta decisão, dado o abrandamento da inflação nos últimos meses, mas a mensagem da Fed tem sido agressiva, sinalizando que o processo está ainda longe de concluído.
Comentários