Setor automóvel guia Wall Street para terrenos positivos

Na segunda sessão da semana, os três principais índices abriram a negociar em terreno positivo. O setor automóvel está a animar os investidores depois dos sinais positivos sobre o progresso das negociações comerciais entre os EUA e a China.

Brendan McDermid / Reuters

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram em alta na segunda sessão desta semana, depois da volatilidade ter marcado a sessão de segunda-feira. O industrial Dow Jones, que na segunda-feira conseguiu recuperar 24.00o pontos que tinha perdido durante a sessão, está a subir 1,35%, para 24.752, 68 pontos. O industrial Nasdaq está a ganhar 1,40%, para 6.779,62 pontos e o S&P 500 está a valorizar 1,23%, para 2.670,08 pontos.

A alavancar o sentimento positivo dos investidores na abordagem ao mercado estão os avanços das negociações entre os Estados Unidos e a China, apesar da detenção no Canadá de Meng Wanzhou, a chief financial officer da empresa chinesa de telecomunicações, Huawei. As duas maiores economias mundiais, cujas negociações comerciais decorrem durante o período de tréguas acordado entre os dois chefes de Estado dos dois países, o presidente norte-americano, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jiping, não só estão a discutir o calendário para as negociações, como também deram sinais positivos ao mercado sobre o estado das conversas.

No Twitter, Donal Trump revelou que as conversações com a China têm sido “muito produtivas” e deixou em aberto “importantes anúncios” para breve. Por sua vez, a China admitiu reduzir as tarifas às importações de automóveis produzidos nos Estados Unidos, de 40% para 15%.

As ações das empresas do setor automóvel valorizaram. Nos Estados Unidos, os títulos da Tesla subiram 0,12%, assim como os da General Motors (+2,99%) e da Ford (2,23%).

Na Europa, o ânimo no setor também se está a fazer sentir, com a Daimler, dona da Mercedes, a subir 3,29% e da BMW a ganhar 2,14%.

No mercado das matérias-primas, o petróleo está a valorizar. O Brent, preço de referência mundial e para a Europa, está a ganhar 1,57%, para 60,91 dólares e o West Texas Intermediate, referência para o mercado norte-americano, está a subir 2,31%, para 52,18 dólares.

 

(atualizada)

 

 

 

Relacionadas

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

Visita oficial do presidente chinês a Portugal irá centrar as atenções dos investidores na próxima terça-feira e quarta-feira. Na agenda internacional, destaque para a reunião da OPEP, em Viena, nos dias 6 e 7, após um último mês de fortes quedas no ‘ouro negro’.

China e Estados Unidos discutem calendário de negociações para acabar com guerra comercial

Negociadores chineses e norte-americanos discutiram por telefone um calendário de negociações para tentar acabar com a disputa comercial entre os dois países, informou esta terça-feira o Ministério do Comércio da China.

China convoca embaixador norte-americano após detenção de diretora da Huawei

A China convocou hoje o embaixador dos Estados Unidos em Pequim para protestar contra a detenção da diretora financeira da operadora de telecomunicações chinesa Huawei e pediu a Washington que abandone o pedido de extradição.

China promete agir de forma célere para estancar guerra comercial

“A China começará a implementação de pontos específicos sobre os quais um consenso foi alcançado, quanto mais cedo melhor”, disse o Ministério do Comércio em comunicado.
Recomendadas

Luta da Fed contra a inflação atinge Wall Street no fecho da sessão

De resto, o organismo liderado por Jerome Powell deu conta na semana passada da possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Banco de Inglaterra anuncia cenário para “testes de stress” com libra em queda

O Banco de Inglaterra divulgou hoje o cenário para testar a resistência dos grandes bancos do Reino Unido, quando o mercado obrigacionista britânico e a libra estão abalados pelas medidas orçamentais anunciadas pelo novo Governo.

Bolsa de Lisboa entre as que mais caíram. EDP Renováveis lidera perdas

O BCE e a OCDE penalizaram os mercados. “O italiano Footsie MIB foi a exceção após a vitória maioritária de Giorgia Meloni do partido de extrema-direita para o cargo de primeira-ministra, nas eleições realizadas ontem”, realçou o analista do BCP.
Comentários