Wall Street abre no ‘vermelho’ com recuo das empresas de chips

No início da sessão, o S&P 500 desce 0,55%, para 3,997.63 pontos, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,49%, para 11,308.66 pontos, e o industrial Dow Jones diminui 0,56%, para 33,439.56 pontos.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta terça-feira, 24 de janeiro, com um sentimento negativo provocado pelo recuo das empresas de chips, após a recuperação na sessão anterior.

No início da sessão, o S&P 500 desce 0,55%, para 3,997.63 pontos, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,49%, para 11,308.66 pontos, e o industrial Dow Jones diminui 0,56%, para 33,439.56 pontos.

Depois de registar o seu maior ganho em mais de dois meses na segunda-feira, a Advanced Micro Devices caiu 2,6% quando a corretora Bernstein classificou a fabricante de chips para “desempenho de mercado” de “desempenho superior”.

Outros fabricantes de chips, como a Nvidia, Intel e Broadcom caíram entre 0,4% e 1,3%.

“Wall Street arrancou em baixa, enquanto se aguarda pela indicação preliminar de atividade na indústria e serviços norte-americanos em janeiro. Os analistas estimam que ambos os setores se tenham mantido em contração, mas que globalmente se tenha assistido a um abrandamento do ritmo de queda. Resta saber de que forma os investidores vão interpretar os dados”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro.

Noutros mercados, as ações da Johnson & Johnson caíram 1,4% depois de a gigante de saúde ter alertado que os seus negócios de dispositivos médicos vão ser afetados pelo aumento dos casos de Covid-19 na China no primeiro semestre de 2023.

Recomendadas

Governador da Fed avisa que taxas de juro poderão continuar a subir

O governador da Reserva Federal norte-americana, Christopher Waller, disse esta quarta-feira que a inflação ainda não está contida e deu um sinal aos mercados: as taxa de juro vão continuar a subir, provavelmente acima das projeções dos analistas.

“Mercados em Ação”. “Governos como o português tomam medidas que perpetuam a inflação”

Henrique Tomé, analista do XTB, analisou no programa da plataforma multimédia JE TV, o efeito da implementação de pacotes de estímulos às famílias por parte de Governos como o português num contexto de subidas de taxas de juro por parte do BCE e dos outros bancos centrais.

IGCP quer alargar rede de distribuidores dos certificados de aforro para contornar desinteresse da banca

O presidente do IGCP sublinhou na COF o interesse em alargar a rede de distribuidores, de forma a contornar também, o que disse ser, o desinteresse da banca.
Comentários