Wall Street abre tímido no ‘vermelho’ acompanhando tendência europeia

O tecnológico Nasdaq lidera as perdas, seguido do financeiro S&P 500. A Nio, fabricante de veículos elétricos com sede na China, perde 5,8% na bolsa na sequência do relatório trimestral que apontou para margens de lucro cada vez menores e uma perspetiva pessimista devido aos desafios da cadeia de produção.

A bolsa de Nova Iorque abre a sessão desta quinta-feira em terreno negativo, mas muito tímido, seguindo a tendência europeia, que recebeu as notícias da manutenção das taxas de juro apesar do peso da inflação, que voltou a renovar máximos absolutos em maio ao subir até 8,1%.

Cerca das 14:40 (hora de Lisboa), o tecnológico Nasdaq lidera as perdas ao cair 0,70% para 11.998,61, seguido do financeiro S&P 500 que deprecia 0,50% para 4.097,00 pontos, e do industrial Dow Jones que recua 0,38% para 32.785,99 pontos. Por sua vez, o Russel 2000 perdeu 1,12% para 1.869,10 pontos.

As ações da Tesla sobem quase 2% depois de o UBS dizer aos clientes que era “hora de ser ousado” com as ações, acrescentando que o futuro da empresa ainda é muito brilhante (apesar de as ações da Tesla terem vindo a cair mais de 30% no acumulado do ano até ao encerramento da sessão de quarta-feira), “apontando para um potencial de aumento de 50% face ao surpreendente aumento das vendas de carros fabricados na China” indicam os analistas da XTB. O interesse da Tesla em produzir software, semicondutores ou mesmo baterias poderia traduzir-se num aumento da rentabilidade. Ao mesmo tempo, o plano de cortar funcionários também se traduzirá numa melhoria da posição financeira da empresa, acrescentam.

As ações da farmacêutica Novavax caem 2%, menos do que o esperado em premarket, após as notícias de que o Departamento de Saúde dos EUA (a FDA) pode vir a adiar a aprovação da vacina contra a Covid-19. Um porta-voz da FDA disse à “CNBC” que a agência precisa de rever as mudanças no processo de produção.

A Nio, fabricante de veículos elétricos com sede na China, perde 5,8% na bolsa na sequência do relatório trimestral que apontou para margens de lucro cada vez menores e uma perspetiva pessimista devido aos desafios da cadeia de produção. Mesmo assim, a empresa registou uma perda trimestral menor do que o esperado, com a receita a superar  as previsões dos analistas.

Em relação ao preço do barril de petróleo, em Nova Iorque, o WTI diminui 0,69% para os 121,27 dólares por barril, enquanto o Brent desvaloriza 0,41% para os 123,11 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro deprecia 0,16% face ao dólar norte-americano para os 1,0697 dólares, enquanto a libra esterlina valoriza 0,11% face à moeda dos Estados Unidos, para 1,2553 dólares.

Relacionadas

Sem surpresas, BCE mantém juros inalterados e sinaliza subida em julho

Apesar do peso da inflação, que voltou a renovar máximos absolutos em maio ao subir até 8,1%, o BCE volta a manter os juros em zero na zona euro, reforçando esta quinta-feira a indicação de arrancar com a normalização da política monetária apenas em julho, quando acabam as compras de ativos.

PremiumNIO Portugal é pioneira na venda exclusiva de veículos elétricos

A NIO Portugal surgiu em Março de 2019 e foi a primeira loja na região dedicada à venda exclusiva de veículos elétricos.
Recomendadas

Wall Street recupera e vai de fim de semana com subidas

Ainda assim, os títulos da Meta Platforms, que detém o Facebook, deslizaram após vir a público que a empresa liderada por Mark Zuckerberg está a cortar os planos de contratação de engenheiros, antecipando uma eventual desaceleração económica.

PSI fecha no verde com EDP Renováveis a disparar mais de 5% e EDP mais de 4%

Apesar da leitura preliminar da inflação, no mês de junho, ter registado um novo pico, acima do esperado, os mercados não reagiram negativamente. Ainda assim as bolsas da Europa fecharam mistas. Energia e utilities em forte alta.

Wall Street entra em julho com o pé esquerdo

O sector dos semicondutores está a cair após a empresa Micron Technology, fabricante de chips, ter apresentado um ‘guidance’ fiscal para o quarto trimestre que desiludiu o mercado. As concorrentes perdem mais de 2% no arranque da última sessão da semana.
Comentários