Wall Street amanhece com perdas ligeiras

Índices norte-americanos iniciam sessão em terreno negativo, após terem sido divulgados dados do emprego acima da expetativa. Fica cada vez mais provável uma subida da taxa de juro este mês.

Andrew Harrer/Bloomberg

As praças norte-americanas abriram a sessão de hoje em terreno negativo, no dia em que foram dados a conhecer os dados relativos ao emprego e que o desemprego nos Estados Unidos recua para mínimo de nove anos. O índice industrial Dow Jones inicia a perder 0,11% para 19.169,95 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,12% para 5.244,85 pontos.

O ‘Bureau of Labor Statistics’ divulgou o relatório de emprego não agrícola relativo ao mês de novembro. Foram registados 178 mil novos empregos, acima dos 174 mil previstos pelos analistas.

A taxa de desemprego nos EUA situou-se nos 4,6%, abaixo da previsão de 4,9%. Com estes dados, ganha mais força uma eventual subida das taxas de juro por parte da Reserva Federal dos EUA ainda em Dezembro. Essa possibilidade é dada como quase certa pelos investidores.

Em Portugal, a bolsa de Lisboa negoceia com a maior parte dos índices no vermelho e perde, a meio da sessão, 0,70% para os 4.405,25 pontos. A marcar a sessão está a confirmação de Paulo Macedo com novo CEO da CGD.

A Galp Energia desvaloriza 0,50%, a corrigir dos ganhos das últimas duas sessões.

A contribuir para o desempenho negativo do índice português, estão ainda as ações da Altri (-2,80%), BCP (-0,93%), CTT (-0,95%), Jerónimo Martins (-0,72%), Mota-Engil (-2,30%), NOS (-2,32%), Semapa (-1,43%), Sonae (-1,03%) e Navigator (-1,24%).

A negociar com ganhos estão os títulos da Pharol (1,20%), Sonae Capital (0,42%), REN (0,12%) e EDP (0,12%).

Na Europa, a tendência mantém-se no vermelho, num um dia marcado pela volatilidade nos diversos mercados accionista, obrigacionista e cambial, com os investidores a posicionarem-se para a realização do referendo em Itália no domingo. As últimas sondagens davam uma vantagem entre os 4% e os 6% para o ‘Não’, embora a taxa de indecisos fosse elevada (cerca de 25%). Para já, os índices negoceiam com perdas: O Dax cai 0,23%, o índice francês CAC perde 0,73%, a praça holandesa AEX desvaloriza 0,97%, e o Footsie de Londres recua 0,49%.

O petróleo Brent perde 0,11% para os 53,88 dólares, depois das fortes subidas das duas últimas duas sessões, após a OPEP ter acordado uma redução na produção de petróleo de 1,2 milhões de barris.

No mercado forex o euro perde 0,13% para 1,2643 dólares. A Libra avança 0,40% para 1,2643 dólares.

A ‘yield’ da dívida portuguesa a dez anos negoceia a descer 4,0 pontos base para 3,709%.

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários