Wall Street animada mas cautelosa com as negociações comerciais entre os EUA e a China

Ceticismo em torno das relações entre os EUA e a China coloca investidores em cautela. Mas Wall Street abriu com ligeiras subidas.

Trader Peter Tuchman works on the floor at the opening of the day’s trading at the New York Stock Exchange (NYSE) in Manhattan, New York City, U.S., December 22, 2016. REUTERS/Andrew Kelly

Avanços nas negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China continuam a animar os investidores e Wall Street segue no “verde”, à semelhança do que aconteceu na sessão de ontem, quarta-feira, em especial o S&P 500 que registou a maior subida nos últimos 10 dias. Mas

pre-market deu boas indicações e, com efeito, os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a negociar em terreno positivo. O S&P sobre 0,40% para 2.661,59 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,47% para 6.596,06 pontos e o industrial Dow Jones ganha 0,36% para 24.614,45 pontos.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/comercio-eua-china/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”707″ slug=”comercio-eua-china” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/comercio-eua-china/thumbnail?version=1537264160008&locale=pt-PT&publisher=www.jornaleconomico.pt” mce-placeholder=”1″]

No início de dezembro os EUA e a China acordaram um período de tréguas de 90 dias, durante os quais as duas maiores potências económicas vão negociar as relações comerciais entre os dois países.

Na quarta-feira, Xi Jiping anunciou começar a aumentar as importações de produtos agrícolas norte-americanas, com os investidores a ficarem mais animados com o anúncio da maior compra de rebentos de soja norte-americanos por parte do Estado chinês.

No entanto, apesar de já não se encontrar detida em Vancouver, no Canadá, a CFO da Huawei, Meng Wanzhou, o incidente da detenção pode ter deixado “cicatrizes” por sarar entre os EUA e a China. O ceticismo vai pairar sobre os mercados até à conclusão das negociações comerciais.

 

Nas matérias-primas, o petróleo está a desvalorizar e está a negociar abaixo dos 60 dólares. O Brent, preço de referência mundial e para o mercado europeu, está a ceder 0,28%, para 59,98 dólares. Por sua vez, o West Texas Intermediate, referência para o mercado norte-americano, está a perder 0,47%, para 50,91 dólares.

(em atualização)

 

Recomendadas

Cotação do barril Brent para entrega em novembro baixa para 87,96 dólares

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em novembro terminou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres em baixa de 0,73%, para os 87,96 dólares.

Wall Street encerra sessão com principais índices a perder mais de 1,50%

No momento de fecho o Dow Jones recua 1,71%para 28.725,84 pontos, o S&P 500 cede 1,51% para 3.585,40 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,51% para 10.575,62 pontos. 

PremiumAções com pior mês desde junho e pode não ficar por aqui

Libra em forte desvalorização e juros da dívida do Reino Unido disparam após polémico “mini-orçamento” de Liz Truss.
Comentários