Wall Street arranca ‘mista’ influenciada pelo recorde de infeções por Covid-19 nos EUA

No início da sessão, o S&P 500 sobe 0,13%, para 4.792,80 pontos e o industrial Dow Jones ganha 0,25%, para 36.490,88 pontos. Já o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,15%, para 15.757,7 pontos.

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta quarta-feira no ‘verde’, com os investidores algo apreensivos após ontem ter sido registado um número recorde de infeções por Covid-19 em território norte-americano.

Ainda assim, destaque para a banca e empresas tecnológicas que seguram dois dos três principais índices em terreno positivo.

No início da sessão, o S&P 500 sobe 0,13%, para 4.792,80 pontos e o industrial Dow Jones ganha 0,25%, para 36.490,88 pontos. Já o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,15%, para 15.757,7 pontos.

Outro dos destaques desta quarta-feira vai para a Bitcoin que voltou a registar quedas depois de uma breve correção de alta e alguns dias a lateralizar. Segundo o analista de mercados da XTB, Henrique Tomé, a criptomoeda “voltou a cair após os compradores não terem conseguido quebrar acima de uma importante zona de resistência (marcada a vermelho)”.

“Enquanto os vendedores mantiverem o controlo do preço abaixo da atual estrutura, o cenário de baixa não deve ser descartado. A próxima zona de suporte a ser observada será perto dos 46 mil dólares, nos níveis de Fibonacci de 78,6%. Uma quebra abaixo dessa zona poderia pressionar ainda mais os preços em direção à marca dos 40 mil dólares”, acrescenta o analista.

Em relação ao preço do barril de petróleo, em Nova Iorque, o WTI desce 0,12% para os 75.89 dólares por barril, enquanto o Brent valoriza 0,10% para os 78.75 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro aprecia 0,42% face ao dólar norte-americano nos 1,1357 dólares. Já a libra esterlina também aprecia 0,37% face à moeda dos Estados Unidos, para 1,3484 dólares.

Recomendadas

Euribor caem a três e seis meses e sobem a 12 meses

As taxas Euribor desceram hoje a três e seis meses e subiram a 12 meses para novos máximos desde o início de 2009.

Bolsa de Lisboa segue em alta com energia a dar gás

As principais bolsas europeias abriram hoje em alta refletindo o ligeiro recuo na taxa de inflação preliminar da zona euro e uma possível desaceleração no aumento das taxas de juro nos EUA sinalizada pelo presidente da Fed. Mas, ao longo da manhã, a tendência deixou de ser tão definida, com Paris e Londres a entrarem em terreno negativo.

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.
Comentários