Wall Street arranca semana em baixa

Assim, na abertura de Wall Street, o Dow Jones perde 0,62% para 34.217,92 pontos, o S&P 500 cede 0,69% para 34.217,92 pontos e o tecnológico Nasdaq recua 0,54% para 11.399,31 pontos. 

Wall Street | Spencer Platt/Getty Images

A bolsa de Nova Iorque abriu sessão, desta segunda-feira, com os principais índices em queda, a perder mais de 0,50%.

Assim, na abertura de Wall Street, o Dow Jones perde 0,62% para 34.217,92 pontos, o S&P 500 cede 0,69% para 34.217,92 pontos e o tecnológico Nasdaq recua 0,54% para 11.399,31 pontos.

Sobre a abertura da bolsa de Nova Iorque, o analista de mercados Ramiro Loureiro destaca que “Wall Street arranca em baixa, no dia em que se espera que o ISM Serviços mostre uma desaceleração do ritmo de expansão da atividade terciária nos EUA em novembro, a saber pelas 15h de Lisboa”.

“Os dados finais das encomendas de bens duradouros em solo norte-americano devem confirmar tendências positivas. Apesar do ambiente de baixa, as listadas chinesas em Nova Iorque, como Xpeng, NIO, Alibaba e Bilibili, bem como as empresas ligadas à China, como as gestoras de casinos MGM, Wynn Resorts e Las Vegas Sands, estão animadas pelo alívio de restrições pandémicas naquele país asiático e que fizeram o índice de ações Hang Seng disparar mais de 4,5% na última sessão”, sublinha Ramiro Loureiro

Por outro lado, pela negativa, o especialista realça o corte de Outlook que faz tombar a VF Corp, bem como rumores de que a Tesla poderá cortar produção em Xangai, isto após ter registado um recorde de vendas de veículos produzidos na cidade, não se percebendo até ao momento até que ponto as notícias correspondem à realidade”.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa fecha sessão no ‘verde’ com BCP a liderar ganhos

As principais bolsas europeias terminaram divididas, com o DAX (Alemanha) e o CAC 40 (França) a registarem valorizações de 0,01%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) perdeu 0,16% e o IBEX 35 (Espanha) depreciou 0,15%.

Wall Street arranca sessão com todos os índices no ‘verde’

A bolsa de Nova Iorque iniciou a sessão com sinais positivos nos três principais índices, apesar da queda das ações da McDonald’s.

Gestora de fundos dos EUA alerta para iminência de uma catástrofe nos mercados

A crescente dívida mundial, que não para de crescer, pode acabar num desastre financeiro de proporções mais devastadoras que o crash de 1929. A dívida “é a maior bomba-relógio de sempre da história financeira”.
Comentários