Wall Street arranca semana indeciso face aos alertas de recessão e taxas de juro em alta

A possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque abriu a sessão desta segunda-feira, 26 de setembro, num cenário de incerteza devido aos receios dos investidores de que os esforços da Reserva Federal (Fed) norte-americana para conter a inflação levem a economia do país a entrar em recessão.

No início da sessão, o S&P 500 cai 0,02%, para 3,692.10 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,34%, para 10,906.16 pontos, e o industrial Dow Jones desce 0,23%, para 29,523.83 pontos.

A possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%. O cenário negativo manteve-se esta segunda-feira, com as ações a negociarem no ‘vermelho’ antes da abertura dos mercados.

“Wall Street iniciou a semana em território indefinido, com o índice S&P500 a aproximar-se dos mínimos atingidos em junho, um nível de teste, à medida que os investidores continuam a analisar os impactos de uma inflação mais elevada e de uma maior probabilidade de recessão à escala global”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro.

Entre as principais empresas destaque para as quebras acima de 1% da Boeing, Chevron, Caterpillar e JPMorgan, enquanto a Apple, Microsoft, Amazon e Tesla apresentaram descidas entre os 0,3% e 1,3%.

Em sentido inverso, as ações das operadoras de casino Wynn Resorts, Las Vegas Sands e Melco Resorts & Entertainment dispararam entre os 5,4% e 10,8% depois de Macau ter anunciado a reabertura do mercado para grupos turísticos chineses a partir de novembro, algo que acontece pela primeira vez em quase três anos.

Recomendadas

Wall Street fecha instável em face da provável recessão

A indefinição está a marcar a economia interna dos Estados Unidos. sabe-se que haverá uma recessão, mas os seus contornos em termos de profundidade e duração não são claros. E o mercado mobiliário parece não gostar disso.

Há quem queira fugir à regulação do mercado criptoativo, alerta responsável europeia

A regulação deverá chegar no espaço de um ano, diz a comissária europeia para os serviços financeiros. Mas há ‘players’ do mercado que escolhem deliberadamente jogar contra as regras, avisa. A abordagem deve ser “global”.

Lagarde e o ‘whatever it takes’ para controlar a inflação. Ouça o podcast “Mercados em Ação”

No “Mercados em Ação”, podcast do JE, vai poder contar com a análise de especialistas em temas como ações e obrigações; investimento e poupança; BCE e FED; resultados e empresas; análises e gráficos.
Comentários