Wall Street bate recordes antecipando acordo com a China

Ainda antes de saberem se o acordo existiria ou não, os mercados mobiliários deram como verdadeiro um tweet do presidente Donaldo Trump que avançava com a assinatura. Desta vez, o palpite revelou-se verdadeiro.

Os índices de ações dos Estados Unidos subiram para novos máximos esta quinta-feira em reação a um tweet do presidente Donald Trump segundo o qual um acordo comercial com a China estava “muito próximo”. Segundo as últimas notícias, o acordo vai mesmo avançar, pelo que a antecipação dos mercados mobiliários acabou por acertar em cheio.

O S&P 500, o Dow Jones Industrials e o Nasdaq abriram em baixa e foram revertendo a tendência após a declaração de Trump, que ocorreu poucos dias antes de as novas tarifas entrarem em vigor, já no domingo.

O Wall Street Journal informou que os negociadores norte-americanos ofereceram uma reduição das tarifas existentes de cerca de 360 mil milhões de dólares em produtos fabricados na China, apoiando a recuperação do entendimento comercial entre os dois países.

Os analistas consideram que o dia de amanhã deverá ser novamente de forte crescimento, principalmente se a Casa Branca acabar por emitir o comunicado em que confirma a assinatura do acordo.

Os analistas já haviam dito que, face aos problemas internos que enfrenta, Donald Trump estaria próximo de aceitar o acordo comercial com a China. Os mercados mobilários, que há várias semanas andam a ‘navegar’ ao sabor de norícias que acabam por revelar-se apenas boatos, entenderam desta vez que o tweet do presidente tinha capacidade para ser verdadeiro.

Recomendadas

Eleições em São Tomé. Patrice Trovoada exorta primeiro-ministro a reconhecer a derrota

O presidente da Ação Democrática Independente (ADI), partido mais votado nas legislativas de São Tomé e Príncipe, exortou hoje o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, a reconhecer a derrota do MLSTP/PSD “o mais rapidamente possível” para apaziguar o clima social.

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários