Wall Street e dólar negoceiam em espera antes da reunião da Fed

O mercado tem incorporado a possibilidade de a terceira subida dos Federal fund rates deste ano (e quinta desde 2015) aconteça esta quarta-feira.

Reuters

As principais bolsas norte-americanas e a moeda do país negoceiam esta terça-feira pouco alteradas, à espera das declarações da presidente da Reserva Federal dos EUA, Janet Yellen, na quarta-feira. O banco central realiza a última reunião de política monetária do ano, será a última conferência de imprensa liderada por Yellen e os mercados antecipam que a Fed suba as taxas de juro.

Em Wall Street, o índice industrial Dow Jones abriu a subir 0,28% para 24.453,38 pontos, enquanto o financeiro S&P 500 avança 0,09% para 2.662,40 pontos e o tecnológico Nasdaq recua 0,08% para 6.869,78 pontos.

No mercado cambial, o dólar segue a valorizar face às pares europeia, britânica e japonesa. A moeda norte-americana aprecia-se 0,25% para 0,851 euros, 0,05% para 0,750 libras e 0,01% para 113,570 ienes.

Nas obrigações, as taxas de juro das Treasuries a 10 anos avançam ligeiramente (0,8 pontos base) para 2,40%

O mercado tem incorporado a possibilidade de a terceira subida dos Federal fund rates deste ano (e quinta desde 2015) aconteça esta quarta-feira. Os investidores vão estar também atentos a possíveis indicações adicionais sobre a redução da folha de balanço do banco central que se vai prolongar no próximo ano e à avaliação que a Fed vai ser da economia norte-americana.

“Apesar de não esperarmos que Janet Yellen mude drasticamente a escolha criteriosa de palavras, os cortes nos impostos [do presidente Donald Trump] podem facilmente levar a que haja maior convicção na velocidade da normalização da política monetária”, explicou o estrategista sénior cambial da BNY Mellon, Neil Mellor, à Reuters.

Relacionadas

Petróleo em máximos dita sentimento positivo nas bolsas europeias

“Um dos setores que está a captar uma maior atenção dos investidores é o petrolífero”, explicam os analistas do BPI Online. O brent tocou o valor mais elevado desde junho de 2015, ficando acima na fasquia dos 65 dólares.

Trump abre a porta à perfuração de petróleo na costa leste dos EUA

O presidente norte-americano Donald Trump já tinha assinado um decreto a autorizar a redução das restrições à extração de petróleo nos oceanos Ártico e Atlântico, que fora interditada pelo seu antecessor Barack Obama.

Energia e tecnologia dão ganhos a Wall Street

Esta semana, a grande expetativa está posta na Reserva Federal norte-americana, que poderá anunciar a terceira subida dos juros de referência este ano.
Recomendadas

Wall Street abre a negociar no ‘verde’. Nasdaq que soma mais de 1,50%

A bolsa de Nova Iorque abre em “sintonia com o sentimento positivo nas congéneres europeias” fruto “da leitura preliminar das encomendas de bens duradouros”.

Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘verde’ com apenas duas cotadas em terreno negativo

As principais bolsas europeias estão em terreno misto, com o DAX (Alemanha) a valorizar 0,79%, o CAC 40 (França) a ganhar 0,76% e o IBEX 35 (Espanha) a crescer 0,22%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) desvaloriza 0,10%.

Bolsa de Lisboa abre em alta numa manhã positiva para os mercados europeus

O PSI iniciou a sessão desta terça-feira em terreno positivo, estando a ganhar 1,29% para 5.485,53 pontos numa manhã serena para a generalidade das praças europeias. A Greenvolt e a Altri estão em destaque esta manhã ao valorizarem, respetivamente, 1,77% para 8,61 euros e 2,42% para 5,12 euros. Ainda no mercado energético, a Energias de […]
Comentários