Wall Street em alta pelo quarto dia consecutivo

Os três principais índices norte-americanos renovaram recordes. Tecnológicas como a Micron Technology e a Western Digital, que reagiram positivamente aos ‘upgrades’ por parte do grupo Susquehanna International, tiveram das melhores performances.

Reuters

A Bolsa de Nova Iorque fechou a sessão desta segunda-feira, dia 16 de dezembro, em terreno positivo e com novos recordes. É o quarto dia consecutivo que os mercados financeiros norte-americanos estão em alta. Desta vez, foram as tecnológicas, como a Micron Technology (+3,40%, para 52,94 dólares) e a Western Digital (+4,05%, para 56,50 dólares), que reagiram positivamente aos upgrades por parte do grupo Susquehanna International, a apresentar as melhores performances.

Os três principais índices norte-americanos encerraram no ‘verde’. O industrial Dow Jones somou 0,36% para os 28.235,89 pontos, o financeiro S&P 500 ganhou 0,70%, para os 3.191,00 pontos, o tecnológico Nasdaq avançou 0,91%, para os 8.814,23 pontos. Já o Russel 2000 ficou marcado por uma valorização de 0,78%, para 1.648,50 pontos.

André Pires, analista da XTB, considera importante seguir os próximos movimentos entre Washington e Pequim, apesar de a guerra comercial parecer “ter acalmado significativamente”, depois da primeira fase do acordo entre a China e os Estados Unidos (EUA).”No entanto, a resistência de alguns membros do governo alemão aos produtos da Huawei levaram o embaixador chinês na Alemanha a ameaçar Berlim com retaliações caso a Huawei Technologies fosse excluída como fornecedora de equipamento sem fios 5G. E, para tal, aludiu aos milhões de veículos alemães vendidos na China”, refere.

Além disso, os indicadores económicos da China – produção industrial, investimento e vendas a retalho – também animaram os investidores do outro lado do Atlântico.

Já os analistas do CaixaBank/BPI Research lembram, numa nota de mercado publicada hoje, os termos acordados entre as duas potências: que os EUA não implementam tarifas extraordinárias (agendadas para ontem); que reduzem os impostos alfandegários sobre 120 mil milhões de dólares de produtos chineses de 15% para 7,50%; que mantêm inalteradas as tarifas aduaneiras sobre 250 mil milhões de dólares de exportações chinesas em 25% e que a China se compromete a comprar mais produtos agrícolas americanos.

Em relação ao petróleo, a cotação do barril de Brent sobe 0,21%, para 65,36 dólares, enquanto a cotação do crude WTI avança 0,30%, para 60,16 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro aprecia 0,23% face ao dólar (1,1145) enquanto a libra “valoriza” 0,13% perante a divisa dos Estados Unidos (1,3342).

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.
Comentários