Wall Street encerra mista com apenas o Nasdaq a verde

O S&P 500 encerra em queda pelo terceiro dia consecutivo, mesmo depois de o Congresso norte-americano ter aprovado um pacote de estímulos no valor de 735 mil milhões de euros à economia, há muito esperado.

Wall Street encerrou a sessão desta terça-feira mista com apenas o índice Nasdaq em terreno positivo, fazendo com que o S&P 500 continue a cair pelo terceiro dia consecutivo, mesmo depois de o Congresso norte-americano ter aprovado um pacote de novo estímulos à economia norte-americana há muito esperado.

O Congresso dos Estados Unidos aprovou esta madrugada um pacote de estímulos no valor de 735 mil milhões de euros para fazer face à devastação económica causada pela pandemia. O pacote de emergência foi incluído na lei de despesas para financiar a administração federal até setembro de 2021, num valor total de 2,3 biliões de dólares (1,8 biliões de euros).

O índice industrial Dow Jones caiu 0,67% para 30.018,80 pontos. O S&P 500 ganhou 0,21% para os 3.687,20 pontos. O tecnológico Nasdaq encerrou em terreno positivo, subindo 0,51% para 12.807,92 pontos.

O preço do barril de petróleo está a descer nos dois lados do Atlântico. Em Nova Iorque, o WTI desce 2,15% para os 46,94 dólares por barril, enquanto o Brent está a desvalorizar 1,79% para os 50 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro depreciou 0,67% face ao dólar norte-americano, para 1,2161 dólares. A libra esterlina também depreciou 0,75% face à moeda dos Estados Unidos, para 1,3363 dólares.

Recomendadas

PremiumReserva Federal penaliza mercados

A postura mais ‘hawkish’ do que o esperado do banco central norte-americano empurra os mercados para perto de mínimos do ano.

Wall Street encerra semana com principais índices a perder mais de 1,50%

O Dow Jones encerrou o dia a ceder 1,62% para 29.590,41 pontos, o S&P500 a perder 1,67% para 3.695,10 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 1,80% para 10.867,93 pontos.

Euro e libra recuam para mínimos de décadas face ao dólar

O euro e a libra terminaram hoje a semana a recuar para mínimos de décadas face ao dólar, com as moedas europeias pressionadas por receios de recessão e o dólar a beneficiar do estatuto de ativo seguro.
Comentários