Wall Street encerra semana com principais índices a perder mais de 1,50%

O Dow Jones encerrou o dia a ceder 1,62% para 29.590,41 pontos, o S&P500 a perder 1,67% para 3.695,10 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 1,80% para 10.867,93 pontos.

A bolsa de Nova Iorque terminou sessão, desta sexta-feira, com os principais índices a negociar a vermelho, tal como no momento de abertura.

Assim, o Dow Jones encerrou o dia a ceder 1,62% para 29.590,41 pontos, o S&P500 a perder 1,67% para 3.695,10 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 1,80% para 10.867,93 pontos.

Esta sexta-feira marcou a quarta sessão negativa consecutiva para os principais índices. Na quarta-feira, o Fed promulgou outro aumento superdimensionado de 75 pontos-base e indicou que faria outro na reunião de novembro.

“Os rendimentos dos títulos estão a subir para níveis que não víamos há anos – está a mudar a mentalidade de como o Fed consegue a estabilidade de preços sem que algo seja sacrificado”, disse Quincy Krosby, da LPL Financial.

“Com base nas discussões com os nossos clientes, a maioria dos investidores em ações adotou a visão de que um cenário de repouso forçado é inevitável e o foco está no momento, magnitude e duração de uma possível recessão e estratégias de investimento para essa perspetiva”, escreveu a Goldman.

Recomendadas

Reino Unido. Mercados valorizam depois de Governo recuar no corte fiscal

O índice FTSE 100 segue a valorizar mais de 1,5%.

Bolsa brasileira regista melhor dia desde 2020. Investidores miram privatizações de Bolsonaro

Várias empresas públicas registaram disparos na bolsa brasileira com investidores interessados nos processos de privatização se Jair Bolsonaro ficar no poder.

Bolsa de Lisboa sobe mais de 1% em manhã positiva na Europa. BCP negoceia acima dos 3%

No mercado energético, a Greenvolt ganha 1,18% para 8,54 euros, a EDP Renováveis sobe 0,69% para 21,90 euros, a EDP avança 0,11% para 4,56 euros e a Galp sobe 0,90% para 10,12 euros, depois de ontem a empresa ter anunciado que o CEO Andy Brown vai terminar o seu mandato em 31 de dezembro.
Comentários