Wall Street fecha mista em mês de máximos históricos

O petróleo, com uma subida de mais de 8% foi o grande protagonista dos mercados. O Livro Bege da Fed mostra que a economia dos EUA segue em crescendo e reforça a tese da subida dos juros em dezembro.

Wall Street fecha o mês de Novembro com máximos históricos. Mas a sessão de hoje fechou mista. O Dow Jones voltou a fechar a subir, 0,01% para 19.123,58 pontos. Mas o S&P 500 perdeu 0,27% para os 2.198,81 pontos e o Nasdaq fechou com uma queda de 1,05% para 5.323,68 pontos.

As acções relacionadas com o sector da energia foram aquelas que registaram o maior aumento nesta sessão devido ao acordo alcançado na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para congelar a produção em 32,5 milhões de barris por dia, o que significa 1,2 milhões a menos do que o que estão a produzir actualmente.

O acordo entrará em vigor em 1 de Janeiro 2017 e terá a duração de 6 meses. No final desse período, a OPED reunir-se-á novamente, a 25 de Maio em Viena, para ver estendem o acordo.

A petrolífera Chevron registou uma subida de 2,07% até aos 111,6 dólares. Também a Exxon Mobil fechou com ganhos de 1,63% até aos 87,3 dólares. O Fundo Selectivo do Sector de Energia (SPDR Select Sector) também esteve em alta de quase 5,1%.

O petróleo West Texas subiu hoje 8,49% para 49,07 dólares o barril.

Nesta quarta-feira a Fed lançou o Livro Bege. O relatório elaborado pelos doze bancos dos Estados Unidos mostra que a economia norte-americana continuou em expansão entre o início de Outubro e meados de Novembro e indica que tanto o emprego como os salários cresceram a nível “modesto” neste período, e em que alguns distritos registou-se mesmo alguma “incerteza” devido ao processo eleitoral.

Também foi publicado o relatório da ADP para o emprego privado relativo a novembro, o que costuma ser considerado um adiantamento dos dados oficiais do governo que serão divulgados na sexta-feira.

A previsão da ADP era de criação de 160.000 postos de trabalho em Novembro, o que compara com 147.000 em outubro. No entanto, o indicador tem vindo a antecipar a criação de 216.000 postos de trabalho em Novembro, um número muito acima do esperado.

Na sexta-feira, o consenso espera a criação de 174.000 postos de trabalho face aos 161.000 em outubro, e uma taxa de desemprego inalterada nos 4,9%. Embora esses dados tenham perdido muito interesse, porque o mercado antecipa em quase 100% que a Federal Reserve (Fed) vai aumentar o preço do dinheiro na sua próxima reunião em 14 de dezembro.

Os dados da ADP reforçam a possibilidade de os juros dos Estados Unidos subirem.

 

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários