Wall Street fecha mista com Nasdaq em máximos outra vez

O Nasdaq voltou aos máximos históricos depois de avançar 0,36% até aos 5.551,81 pontos. Já o Dow Jones perdeu 0,16%, para os 19.855,53 pontos, devido sobretudo à queda dos títulos da farmacêutica Merck (-1,5%) e da petrolífera Exxon Mobil (-1,26%). Amanhã haverá uma conferência de imprensa de Donald Trump e será a primeira desde que foi eleito.

Brendan McDermid / Reuters

Wall Street fechou com subidas moderadas, mas o Nasdaq voltou aos máximos históricos depois de avançar 0,36% até aos 5.551,81 pontos. Já o Dow Jones perdeu 0,16%, para os 19.855,53 pontos. Devido à queda dos títulos da farmacêutica Merck (-1,5%) e da petrolífera Exxon Mobil (-1,26%). Finalmente, o S&P 500 manteve os 2.269 pontos.

Amanhã haverá uma conferência de imprensa de Donald Trump e será a primeira desde que foi eleito.

O petróleo do West Texas continua a cair, hoje as perdas são de 2,23% para os 50,80 dólares o barril.

A banca começa a apresentar resultados na sexta, com a apresentação das contas do quarto trimestre pelos JP Morgan e Wells Fargo. As previsões do consenso são muito positivas para o sector financeiro.

Na sexta-feira, a Presidente da Reserva Federal (Fed) norte-americana, Janet Yellen, discursa nos EUA; as vendas a retalho e o índice de preços no produtor, relativas a dezembro, são revelados.

Recomendadas

Euribor caem a três e seis meses e sobem a 12 meses

As taxas Euribor desceram hoje a três e seis meses e subiram a 12 meses para novos máximos desde o início de 2009.

Bolsa de Lisboa segue em alta com energia a dar gás

As principais bolsas europeias abriram hoje em alta refletindo o ligeiro recuo na taxa de inflação preliminar da zona euro e uma possível desaceleração no aumento das taxas de juro nos EUA sinalizada pelo presidente da Fed. Mas, ao longo da manhã, a tendência deixou de ser tão definida, com Paris e Londres a entrarem em terreno negativo.

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.
Comentários