Wall Street mantém-se em baixa apesar de a Uber disparar 13%

As ações da plataforma de transportes de passageiros e refeições estão a valorizar após a apresentação de resultados trimestrais. Ainda assim, a bolsa de Nova Iorque segue no encarnado.

A bolsa de Nova Iorque mantém-se na sessão desta terça-feira em terreno negativo. A penalizar os mercados financeiros norte-americanos está sobretudo o contexto de tensão geopolítica.

Em Wall Street, o índice industrial Dow Jones recuava 0,67% para os 32.578,42 pontos cerca de uma hora após o início das negociações. Quanto ao índice financeiro S&P 500, resvalou 0,35% para os 4.105,88 pontos e o tecnológico Nasdaq perdeu 0,51% para os 12.305,89 pontos. Por sua vez, o Russell 2000 desvalorizou os ligeiros 0,27% para os 1.881,35 pontos.

Ainda assim, as ações da Uber estão a disparar 13,82% para 28 dólares, na sequência de a plataforma de transportes de passageiros e refeições ter apresentado receitas trimestrais acima do esperado pelos analistas. As vendas da Uber no segundo trimestre atingiram os 8,07 mil milhões de dólares, superior aos 7,39 mil milhões de dólares previstos. Ainda assim, o prejuízo líquido foi de 2,6 mil milhões de dólares, que inclui o impacto de 1,7 mil milhões de dólares em relação à reavaliação dos seus investimentos na Grab Aurora e Zomato.

Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, destaca que Wall Street arranca em baixa, num sentimento que é partilhado pela maioria das congéneres europeias neste início de tarde e que foi registado também na Ásia. “A visita de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a vários países asiáticos, vai contar esta noite com um desembarque em Taiwan, o que é considerado pela China como uma afronta, uma vez que o Governo considera a região como parte do seu território”, escreve o analista, em research.

Quanto às matérias-primas, o ‘ouro negro’ está a subir mais de 1%. O preço do WTI, produzido no Texas, valoriza 1,21% para os 100,62 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent avança 1,02% para os 107,35 dólares por barril. “A OPEP+ está atualmente a 300% em conformidade com os seus cortes na produção, o que significa que a escassez na produção da OPEP+ é de cerca de 1-2 milhões de barris por dia”, apontam os analistas da XTB, numa nota de mercado.

No mercado cambial, o euro está a depreciar 0,55% para os 1,0207 dólares.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa encerra ‘no verde’ numa Europa em terreno misto. Galp avança mais de 3%

No mercado petrolífero, o brent está a avançar 0,08% para os 96,82 dólares, mas o crude está a descer 0,19% para os 90,61 dólares.

Wall Street abre mista. Farmacêutica Novavax tomba mais de 20%

Os investidores aguardam novos dados sobre a inflação norte-americana, que serão divulgados amanhã. Nas empresas, a pouca procura por vacinas penaliza as produtoras. A Norwegian Cruise também cai devido a receitas e ocupação dos barcos abaixo do esperado.

Bolsa de Lisboa recupera e segue sessão no ‘verde’ com Altri a liderar ganhos

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a ganhar 0,90% para os 97,52 dólares e o crude a desvalorizar 0,71% para os 91,40 dólares.
Comentários