Wall Street mantém tendência de recuperação e abre ‘no verde’

Apesar dos receios com a inflação estarem a atenuar desde a sessão de sexta-feira, os mercados de ações ainda vão a caminho de fechar um dos primeiros semestres mais fracos das últimas décadas, devido aos aumentos agressivos das taxas para conter a inflação, que por sua vez alimentaram receios de estagnação económica.

Após encerrar na passada sexta-feira com os principais índices a valorizar mais de 2,5%, a bolsa de Nova Iorque inicia a última semana de junho em território positivo, acompanhando as principais praças europeias.

Pelas 14h31 (hora de Lisboa), o S&P 500 sobe 0,34%, para 3.925,10 pontos, o tecnológico Nasdaq valoriza 0,42%, para 11.656,60 pontos, e o industrial Dow Jones regista o maior avanço, de 2,66% para 31.500,68 pontos.

“Acho que há uma sensação generalizada de que a inflação pode estar a cair e a Reserva Federal (Fed) pode não ter que ser tão agressiva quanto era esperado daqui para frente”, disse Thomas Hayes, membro-gerente da Great Hill Capital LLC em Nova York, citado pela “Reuters”.

No entanto, apesar dos receios com a inflação estarem a atenuar desde a sessão de sexta-feira, os mercados de ações ainda vão a caminho de fechar um dos primeiros semestres mais fracos das últimas décadas, devido aos aumentos agressivos das taxas para conter a inflação, que por sua vez alimentaram receios de estagnação económica.

A destacar as ações da Nike, que descem 0,80% para os 112,01 dólares. A empresa deve divulgar os ganhos do quarto trimestre após o encerramento da sessão de hoje, dias depois de anunciar planos de sair totalmente da Rússia.

As ações da Digital World Acquisition estão também a cair, recuando 0,47% para os 27,82 dólares, depois da empresa, que é uma SPAC (Special Purpose Acquisition Company), divulgar que os seus diretores receberam intimações de procuradores federais para apurar mais informações sobre acordos que a empresa terá feito com a rede social do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, a ‘Truth Social’.

Esta investigação federal é o mais recente obstáculo aos esforços de Trump para tornar público o criador da rede social, Trump Media & Technology Group (TMTG). Em outubro do ano passado, a TMTG concordou numa fusão com a Digital World e esperava que o acordo fosse fechado já no segundo semestre deste ano.

O preço do barril de petróleo está a descer. O brent recua 0,12% para os 108,97 dólares e o crude está a diminuir 0,07% para 107,55 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter valorizar face ao dólar, subindo 0,26%, para os 1,0581 dólares.

Recomendadas

Wall Street começa bem mas acaba no vermelho

Os mercados finalmente parecem ter entendido que a Reserva Federal ainda não se decidiu a moderar o aumento das taxas de juro. Antes disso, é preciso que a moderação do crescimento da inflação se consolide.

Bolsa de Lisboa encerra sessão no verde com Galp a liderar ganhos

Além da Galp, BCP encerra sessão a valorizar 3,23% para 0,1567 euros e a Mota-Engil a crescer 1,81% para 1,204 euros.

Wall Street abre em terreno positivo

No mercado petrolífero, o Brent sobe 1,31% para 98,68 dólares por barril e o WTI ganha 1,53% para 93,34 dólares.  
Comentários