Wall Street negoceia na linha de água

Praças norte-americanas transacionam pouco alteradas, numa sessão marcada por uma liquidez reduzida.

Kai Pfaffenbach/Reuters

Os mercados acionistas dos EUA negoceiam na linha de água.

O índice industrial Dow Jones adia o marco histórico de 20.000 pontos e perde 0,04%, o tecnológico Nasdaq ganha 0,06% e o S&P 500 desce 0,05%.

Uma vez que muitos investidores estão ausentes da negociação, a sessão de hoje deverá ter uma liquidez reduzida.

“Com o Natal neste fim-de-semana, e o Ano Novo, no próximo, os mercados globais podem oscilar entre ganhos e perdas, com a estratégia dos investidores para o ano de 2017”, disse o analista da FXTM, Lukman Otunuga, às agências internacionais.

As vendas de casas novas superaram as estimativas e aumentaram 5,2% para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 592 mil habitações em novembro, de acordo com dados divulgados hoje pelo Departamento do Comércio dos EUA.

A sessão de ontem encerrou com perdas, depois da divulgação do PIB do terceiro trimestre, que foi revisto em alta para 3,5%.

O petróleo Brent cai 0,96% para 54.52 dólares por barril, e o crude desce 0,96% para 52,44 dólares.

No mercado cambial, o euro sobe 0,10% para 1,0446 dólares, e a libra recua 0,27% para 1,2251 dólares.

No dia 26 de dezembro, segunda-feira, o mercado estará encerrado.

Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,
Comentários