Wall Street recupera e fecha em terrenos positivos

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque conseguiram inverter as perdas e fecharam a negociar em terrenos positivos. O industrial Dow Jones, que chegou a perder 24.000 pontos, conseguiu recuperar. O preço do petróleo afundou.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque inverteu a trajetória de descida durante o dia com os três principais índices a fecharem no “verde” durante a primeira sessão da semana. O S&P 500 valorizou 0,26% para 2.639,86 pontos, o tecnológico Nasdaq ganhou 0,74% para 7.020,520 pontos e o industrial Dow Jones subiu 0,14%, para 24.423,26 pontos.

Esta segunda-feira ficou marcada pela volatilidade dos mercados, em especial do Dow Jones. O índice industrial esteve a perder 24.000 pontos, algo que não acontecia desde abril, mas conseguiu recuperar e fechou em terrenos positivos. O panorama internacional, marcado pelas tensões nas relações comerciais entre os Estados Unidos e a China, com a detenção de Meng Wanzhou, a chief financial officer da empresa de telecomunicações chinesa, Huawei, penalizaram Wall Street, especialmente o Dow Jones.

A sessão volátil também ficou marcada pela incerteza dos investidores em torno da economia norte-americana. Na passada sexta-feira, foram divulgados os dados de emprego nos EUA em novembro, em que foram criados 155 mil postos de trabalho, abaixo das expectativas, que previam a criação de cerca de 200 mil novos postos de trabalho.

O clima económico e político internacional também tem alimentado incerteza para os investidores que procuram saber a real situação do estado da economia global, que parece estar em desaceleração.

A Apple, que chegou a cair cerca de 2% durante a sessão, fechou a valorizar 0,66% para 169,60 dólares. O dia também ficou marcado depois de a Qualcomm, empresa fabricante de chips e fornecedora da Apple, ter revelado que um tribunal chinês declarou a empresa fabricante de iPhones de ter violado duas patentes. A Apple não poderá vender na China, o maior mercado de dispositivos móveis do mundo, sete modelos diferentes de iPhones, desde os iPhones 6 aos iPhones X. A Qualcomm fechou a valorizar 2,23% para 57,24 dólares.

No Reino Unido, a decisão de Theresa May ter adiado a votação do Parlamento britânico sobre o acordo do Brexit terá causado impacto no setor bancário, que foi um dos setores mais penalizados na bolsa de Nova Iorque. A libra esterlina desapreciou 1,28% face ao dólar, para 1,2563 dólares.

Nas matérias-primas, o petróleo volta a ficar abaixo dos 60 dólares por barril. O Brent, preço de referência mundial e para o mercado europeu, desvalorizou 2,76% para 59,97 dólares enquanto o West Texas Intermediate perde 0,06%, para 50,97 dólares.

(atualizada)

Relacionadas

Apple condenada de violar patentes na China. Proibida a venda de sete modelos de iPhone

A fabricante de chips ganhou uma ação judicial contra a Apple que está impedida de vender vários modelos de iPhones na China. Qualcomm acusa a Apple de beneficiar da propriedade intelectual da fabricante de chips sem recompensar.

Tesla pondera comprar fábricas da General Motors

A confirmar-se, não seria a primeira vez que a Tesla compra fábricas à GM. A principal fábrica de produção da construtora automóvel de Elon Musk fica em Fremont, no estado da Califórnia, era da GM.

Libra toca em mínimo de 20 meses após adiamento de votação

A moeda britânica registou uma desvalorização no mercado de divisas de 1,73% face ao dólar para 1,2513 dólares e de 1,45% face ao euro para 1,1008 euros.

China aumenta pressão sobre Canadá para que liberte Meng Wangzhou

O vice-ministro dos Assuntos Exteriores da China, Le Yucheng, convocou, no sábado à noite, o embaixador do Canadá, John McCallum, para lhe apresentar um “forte protesto” pela detenção de Meng Wangzhou em Vancouver e instou Otava a libertá-la de imediato, de acordo com um comunicado daquele gabinete chinês.
Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários