Wall Street sem direcção clara com olhos postos no BCE

Investidores aguardam discurso de Draghi amanhã, mas sector da saúde está a ser castigado por comentários de Trump

Os principais índices bolsistas norte-americanos seguem mistos e com variações ligeiras,  na véspera da reunião mensal do Banco Central Europeu, e numa sessão em que os títulos do setor da saúde estão ser penalizados pelos comentários do presidente-eleito Donald Trump sobre os preços dos medicamentos.

O industrial Dow Jones sobe 0,2%, para um novo máximo histórico,  e o S&P500 valoriza 0,19%, enquanto o tecnológico Nasdaq perde 0,1%.

Numa entrevista à Time, Trump disse que se opõe ao aumento dos preços dos medicamentos, castigando os setores da saúde e da biotecnologia. As ações da gigante farmacêutica Pfizer, por exemplo, tombam 2,6%.

Os juros da dívida soberana norte-americana estão a cair em todas as maturidades em linha com os pares europeus. O Banco Central Europeu deverá anunciar na reunião do Conselho de Governadores, marcada para amanhã, que o programa de compra de ativos deverá prolongar-se depois de março, possivelmente por mais seis meses.

No mercado das matérias-primas,  o preço do barril de Crude desvaloriza 1,83% para os 50 dólares, e o de Brent desce 1,37% para 53,2 dólares, pressionados pelas expetativas de um aumento da produção nos Estados Unidos, apesar dos planos da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e da Rússia para cortarem o ‘output’.

Recomendadas

A queda da libra e a bolsa brasileira. Veja os gráficos da semana no “Mercados em Ação”

Veja os destaques na rubrica “Gráficos da Semana”, da responsabilidade de Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, no programa que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, Head of Investments da Sixty Degrees.

OPEP+ está a equacionar corte de produção de até 2 milhões de barris por dia

Reunião de hoje em Viena. A OPEP+ está a equacionar um corte de produção de até 2 milhões de barris por dia.

PSI mantém-se no ‘vermelho’ em linha com a generalidade das praças europeias

O sentimento negativo é transversal às restantes praças europeias. O alemão DAX cai 0,78% para 12.572,23 pontos, o britânico FTSE desce 0,98% para 7.017,90 pontos, o espanhol IBEX cai 1,45% para 7.584,62 pontos e o francês CAC perde 0,66% para 5.999,70 pontos. 
Comentários