Wallapop angaria 81 milhões para consolidar expansão no Sul da Europa

Esta ronda foi liderada pela Korelya Capital, um fundo europeu de investimento late-stage, e apoiado pela Naver, empresa sul-coreana líder na Internet, que em conjunto desempenharam um papel fundamental na anterior operação de financiamento da Wallapop, em fevereiro de 2021.

A Wallapop, plataforma líder no “consumo consciente”, anunciou uma ampliação da sua ronda de financiamento Serie G no valor de 81 milhões de euros.

Esta ronda foi liderada pela Korelya Capital, um fundo europeu de investimento late-stage, e apoiado pela Naver, empresa sul-coreana líder na Internet, que em conjunto desempenharam um papel fundamental na anterior operação de financiamento da Wallapop, em fevereiro de 2021.

Outros acionistas existentes como a Accel, 14W e Insight também participaram nesta ronda, na sequência da qual a empresa atingiu uma valorização total de 771 milhões de euros, “a mais alta jamais atribuída à Wallapop”, refere a empresa em comunicado.

J.P. Morgan Securities plc foi o único agente de colocação para a angariação inicial de fundos da Serie G da Wallapop, concluída em fevereiro de 2021.

“A Wallapop está atualmente concentrada na internacionalização e no crescimento do seu negócio, baseado na economia circular, no Sul da Europa”, acrescenta a plataforma.

A empresa lançou a sua plataforma em Itália em 2021 e chegou a Portugal em setembro de 2022, “progredindo no seu objetivo de quebrar as barreiras de acesso à venda e compra de produtos reutilizados”.

“Após um primeiro ano de sucesso em Itália, a Wallapop tornou-se a aplicação mais descarregada para compra e venda de produtos reutilizados na primeira metade de 2022, com mais de 2,4 milhões de downloads. Além disso, o comércio transfronteiriço entre Itália e Espanha aumentou 600% de janeiro a julho do ano passado”, detalha o comunicado.

Com a extensão desta ronda de financiamento, a empresa continuará o seu crescimento constante no Sul da Europa, aumentando a sua presença.

O objetivo da Wallapop é “conseguir o envolvimento de consumidores num modelo de consumo mais humano e consciente, replicando o sucesso que a plataforma tem tido em Espanha”.

A Wallapop fechou o seu exercício financeiro de 2022 com um volume de negócios de mais de 72 milhões de euros, mais 40% do que em 2021. Em 2021, as receitas geradas pelas transações entre utilizadores através dos “Envios Wallapop” duplicou em comparação com o ano anterior, passando de quase 17 milhões de euros para mais de 32 milhões de euros.

Os serviços de assinatura da Wallapop para vendedores profissionais geraram 10 milhões de euros, acima dos 6,7 milhões de euros registados em 2020. “Ambos os canais de receitas continuaram a registar um crescimento sólido em 2022”, revela a empresa.

“Nos últimos anos, os esforços de expansão da Wallapop permitiram que cada vez mais pessoas beneficiassem do nosso objetivo principal – facilitar uma forma de consumo mais consciente e humana que cria oportunidades económicas para as pessoas – o que no ambiente socioeconómico atual continua a ser altamente relevante”, explica Rob Cassedy, CEO da Wallapop, no comunicado.

Cassedy acrescenta que “estamos concentrados em conduzir uma revolução na reutilização no Sul da Europa, dando prioridade a um modelo de crescimento saudável que nos permita aumentar o nosso impacto ao mesmo tempo que se dimensiona para criar um ecossistema de inventário único que pode continuar a expandir-se ainda mais no futuro. Naver, Korelya e os nossos outros investidores partilham a nossa visão”.

A Wallapop, que celebra 10 anos em 2023, “é o mercado mais popular para produtos reutilizados em Espanha, onde 15 milhões de pessoas o visitam todos os meses para comprar objetos de qualidade a preços competitivos e vender o que já não utilizam”, revela o comunicado.

A comunidade de utilizadores da Wallapop cria cerca de 100 milhões de anúncios por ano, dando uma segunda vida a objetos totalmente funcionais.

“Ao mesmo tempo que prossegue nos seus esforços de internacionalização, a Wallapop tem mantido um forte investimento em engenharia e data science nos últimos dois anos, juntando tecnologia e sustentabilidade para oferecer uma grande experiência de utilizador na sua plataforma. Desde 2020, a empresa duplicou a sua dimensão e emprega atualmente mais de 300 pessoas de 30 nacionalidades”, conclui a empresa.

 

Recomendadas

“É importante pensar na estratégia do que se quer para a TAP”, refere administrador da Vila Galé

Gonçalo Rebelo de Almeida considera que é necessário perceber se Portugal quer transformar a TAP numa companhia mais pequena só a Europa ou se o país quer continuar a apostar no seu crescimento.
TAP

Finanças desconheciam bónus de três milhões acordado com CEO da TAP

O antigo ministro João Leão não teve conhecimento do montante do bónus da CEO da TAP que consta do contrato assinado a 8 de junho de 2021.

Premium“Vamos continuar a trabalhar as duas marcas em separado”

Neves e Almeida e CEGOC vão trabalhar em autonomia e com equipas de gestão próprias, mantendo a identidade de cada marca.
Comentários