Web Summit: Microsoft apoia Ucrânia com mais de 100 milhões em tecnologia em 2023 (com áudio)

O presidente da Microsoft, Brad Smith, anunciou hoje que a multinacional vai continuar a apoiar a Ucrânia em 2023, no valor de 100 milhões de dólares (cerca de 102,6 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

Cody Glenn/Web Summit

Brad Smith anunciou este montante no início da sua intervenção, no palco principal do Altice Arena, sobre energia.

“Este é um tempo que exige que estejamos focados em muitas coisas diferentes, é parte do que me trouxe aqui a Lisboa à Web Summit, este ano”, começou por dizer o responsável da tecnológica, referindo-se ao encontro que teve esta manhã com o vice-primeiro-ministro e ministro da Transformação Digital da Ucrânia, Mykhailo Fedorov.

Para “que eu pudesse anunciar que a Microsoft irá estender para todo o ano de 2023 (…) 100 milhões de dólares de tecnologia para apoiar não só o Governo [ucraniano], mas as pessoas da Ucrânia”, acrescentou, declaração que foi acompanhada por aplausos dos participantes.

Ao início da manhã, Brad Smith e Fedorov marcaram presença numa conferência de imprensa sobre o tema.

A sétima edição da Web Summit, que arrancou em Lisboa em 2016, registou o seu máximo de capacidade com 71.033 participantes de 160 países, com o maior número de sempre de ‘startups’ e de investidores.

Relacionadas

Transição energética. Presidente da Microsoft destaca importância de aproveitar o “poder” dos dados

“Precisamos de formar novos mercados, especialmente novos mercados de carbono. Precisamos de inovação para novas leis e regras”, especialmente em áreas como o carbono, eletricidade e desperdício, garantiu Brad Smith.
Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.
Comentários