Whitestar ganha gestão de carteira de NPL de 200 milhões do portefólio ‘Guincho’

A carteira de crédito ‘non-performing unsecured’, que vai ser gerida pela empresa, é composta por mais de 3.700 créditos, cerca de 1.300 devedores e um valor em dívida que ultrapassa os 200 milhões de euros. 

A Whitestar anunciou que ganhou a gestão de uma carteira de 200 milhões de euros, de crédito malparado (NPL – Non Performing Loans) unsecured, ou seja, sem garantias.

A Whitestar Asset Solutions, uma empresa de gestão de carteiras de crédito e imobiliário com cerca de 10 mil milhões de euros em ativos sob gestão, ficou a gestão de uma carteira de NPL que originalmente era do Santander Totta (portefólio ‘Guincho’ Finance) no valor de 481 milhões de euros, que foi vendido no fim de 2018 à 400 Capital Management (o comunicado não identifica o dona da carteira de NPL) e que tinha como servicers a Whitestar Asset Solutions, a Hipoges e a Altamira.

A Altamira saiu e a Whitestar substitui a Altamira como servicer.

A carteira de crédito non-performing unsecured, que vai ser gerida pela Whitestar é composta por mais de 3.700 créditos, cerca de 1.300 devedores e um valor em dívida que ultrapassa os 200 milhões de euros.

“Esta carteira estava a ser gerida por um servicer concorrente e, acima de tudo, é mais um sinal importante da confiança do mercado na qualidade dos nossos  serviços”, explica João Bugalho, managing director de Asset Managment do sul da Europe na Arrow Global e CEO da Whitestar Asset Solutions.

A gestão da nova carteira tem efeitos a 1 de maio. “Trata-se de um portefólio que integra a carteira Guincho, a segunda titularização pública de NPL realizada em Portugal, cuja gestão tinha sido dividida por três servicers: Whitestar – Individual Secured; Hipoges – Corporate Secured e Altamira – Unsecured”, diz o comunicado.

João Bugalho acrescenta ainda que “esta notícia ganha ainda maior relevo por tratar-se de uma carteira integrada numa titularização pública com rating”.

Recomendadas

Espanhóis endinheirados invadem gestoras de fortuna com pedidos sobre como pôr o dinheiro em Portugal

Segundo o jornal espanhol Expansión, os bancos espanhóis estão a ser inundados com pedidos de análise e informação sobre os efeitos da mudança de residência fiscal e transferência de parte (ou totalidade) do património para outras jurisdições incluindo Portugal, devido aos aumentos de impostos que estão a ser implementados pelo governo espanhol.

Site e aplicação do BCP com acesso limitado

A aplicação móvel e o site do banco estão com acesso limitado esta segunda-feira. Fonte oficial confirma ao JE que o problema “está diagnosticado e o serviço deve ser restabelecido dentro em breve”.

APB promove Open Day na banca para ensinar jovens a poupar e investir

“Ao longo da semana, iremos realizar dois webinars destinados aos alunos do ensino secundário e profissional sobre as opções de investimento disponíveis para quem quer começar a investir e os cuidados a ter na contratação destes produtos online”, anuncia a Associação Portuguesa de Bancos.
Comentários