Wine Spectator. Duorum Colheita 2013 eleito

O vinho Duorum Colheita tinto 2013 foi eleito para o top dos 100 melhores vinhos do ano da prestigiada revista norte-americana Wine Spectator.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O vinho Duorum Colheita tinto 2013 foi eleito para o top dos 100 melhores vinhos do ano da prestigiada revista norte-americana Wine Spectator.

Com um dos rankings anuais mais conceituados do momento, os vinhos da Duorum já são presença assídua nesta publicação onde costumam obter pontuações acima dos 90 pontos, assinalam os produtores em comunicado.

Duorum Colheita tinto 2013 é um vinho de cor vermelha profunda e um aroma exuberante, fresco e complexo. É dominado por frutos maduros, como amora, ameixa e cassis, alguns aromas florais, como a violeta, e aromas terciários provenientes da sua “elevage” em barricas como a especiarias. Um vinho com volume e corpo que lhe confere um final longo e elegante.

OJE

Recomendadas

“Annie Ernaux, os anos super 8”: juntar o íntimo ao social e à História

O público português pode marcar encontro com a escritora francesa Annie Ernaux, Nobel da Literatura 2022. No grande ecrã, estreia um documentário que é também um retrato social, a 15 de dezembro, e nas livrarias irá encontrar a reedição de uma obra sua esgotada há 20 anos.

António Costa e a maldição do sete. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Didier Fiúza Faustino: 30 anos a questionar

Os projetos do “artista-arquiteto” franco-português, como o próprio se define, são marcados pelo questionamento do papel político da criação e da nossa posição enquanto sujeitos e cidadãos. O MAAT, em Lisboa, dedica-lhe uma retrospetiva que Faustino vê mais como um exercício prospetivo.