Xangai regista hoje 39 mortes Covid-19, o maior número diário desde o confinamento

O número de óbitos desde o início do confinamento na capital económica da China sobe 87.

A cidade chinesa de Xangai anunciou 39 mortes por Covid-19, no que é o número mais elevado registado na cidade chinesa, confinada desde abril. “A situação é grave, toda a cidade deve agir sem demora”, apelou este sábado, 23 de abril, o vice-diretor do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças de Pequim, Pang Xinghuo.

Com estas 39 mortes, o número de óbitos sobe para, pelo menos, 87, desde o início do confinamento em Xangai, segundo dados divulgados pela agência de notícias francesa AFP. No dia anterior, a cidade tinha reportado 12 vítimas mortais.

Segundo as autoridades chinesas, os idosos que sofrem de doenças crónicas, como hipertensão, são responsáveis pela maioria das mortes hoje anunciadas. Duas vítimas tinham idades entre os 39 e os 48 anos e cinco estavam vacinadas contra a Covid-19.

Apesar do confinamento rigoroso em Xangai, quase 22.000 novos casos positivos foram registados hoje, refere a AFP, acrescentando que a maior cidade da China totalizou quase meio milhão de casos desde o início de março.

A China, que tem enfrentado nas últimas semanas o seu pior surto em dois anos de pandemia, colocou em confinamento desde o início de abril quase todos os 25 milhões de habitantes da sua capital económica, Xangai, o epicentro do contágio.

As únicas vacinas disponíveis no país são de laboratórios chineses e, de acordo com vários estudos, oferecem proteção considerada fiável contra formas severas da Covid-19, mas são conhecidas por terem menos eficácia do que muitas vacinas estrangeiras.

Recomendadas

Ocidente deve ser mais brando com a Rússia e a Ucrânia deve ceder, defende Kissinger

Segundo o ex-secretário de Estado dos EUA, os líderes europeus não devem perder de vista o relacionamento de longo prazo com a Rússia, nem devem arriscar empurrá-la para uma aliança permanente com a China. O antigo campeão de xadrez Garry Kasparov disse que essa posição, para além de imoral, foi provada errada repetidamente.

Sondagem revela que economia é mais importante do que punir a Rússia

Enquanto que eu março a maioria defendia que se devia dar prioridade às sanções à Rússia, agora 51% defende que se deveria limitar os danos à economia dos EUA.

Cimeira do QUAD lança plano de 50 mil milhões para suster avanço da China no Indo-Pacífico

Líderes dos Estados Unidos, Japão, Índia e Austrália, divulgaram um plano de vigilância marítima do Indo-Pacífico e prometem um megaprojeto de investimentos em infraestruturas. A declaração conjunta não menciona diretamente a China. E a Rússia também não.
Comentários