Xi Jinping: Acordos assinados vão levar parceria estratégica entre Portugal e China “para outro patamar”

No último dia da visita oficial a Portugal, Xi Jinping afirmou que ambos os países se encontram num “momento histórico”, que vai permitir explorarem juntos outros mercados internacionais.

Xi Jinping

O presidente da República Popular da China, Xi Jinping, afirmou esta quarta-feira que os 17 acordos assinados entre Portugal e a China vão a permitir reforçar a parceria estratégica entre os dois países. No último dia da visita oficial a Portugal, Xi Jinping afirmou que ambos os países se encontram num “momento histórico”, que vai permitir explorarem juntos outros mercados internacionais.

“Acabei de ter uma reunião amistosa e frutífera com o primeiro-ministro português e trocámos de forma profunda pontos de vista sobre as relações bilaterais e outras questões de interesse comum, chegando a amplos consensos”, afirmou Xi Jinping, em conferência conjunta com o primeiro-ministro, no Palácio Nacional de Queluz. “Assinámos uma série de documentos importantes com vista à cooperação e entendimento em relação à iniciativa ‘Uma Faixa, uma Rota'”.

Xi Jinping afirmou que, com esta visita a Portugal, as relações entre Portugal e a China “saem reforçadas”, com a expansão das áreas de cooperação entre os dois países. “Vamos explorar juntos mercados terceiros”, em áreas como economia, comércio, cultura, educação, turismo, ciência, tecnologia, desporto e media.

“O relacionamento bilateral encontra-se no seu melhor momento histórico. Neste 40.º aniversários [das relações diplomáticas], vamos aprofundar e elevar a nossa parceria estratégica global para um novo patamar”, disse o líder chinês. “Vamos manter a tendência de frequentes visitas de alto nível e reforçar o intercâmbio a nível político e entre os povos, elevando o nível de confiança mútua”.

Este é o segundo dia da visita oficial do presidente chinês a Portugal. Esta manhã, Xi Jinping foi recebido pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, antes de se descolar até ao Palácio Nacional de Queluz, para a assinatura de acordos com o primeiro-ministro, António Costa. Esta terça-feira, o líder da China foi recebido pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta é a primeira visita de um chefe de Estado chinês a Portugal desde outubro de 2010, quando o então presidente da China, Hu Jintao, veio promover uma parceria estratégica entre Portugal e a China. Xi Jinping vem celebrar os 40 anos das relações diplomáticas entre os dois países e aumentar a aposta na compra de participações em empresas portuguesas, com a assinatura de 19 acordos.

Relacionadas

“Subimos mais um degrau nas nossas relações”, diz António Costa sobre acordos com a China

O primeiro-ministro português reuniu-se esta quarta-feira com o Xi Jinping, tendo sido assinado 17 acordos em diversas áreas, como comércio e a tecnologia.

Xi Jinping: Acordos assinados vão levar parceria estratégica entre Portugal e China “para outro patamar”

No último dia da visita oficial a Portugal, Xi Jinping afirmou que ambos os países se encontram num “momento histórico”, que vai permitir explorarem juntos outros mercados internacionais.
Recomendadas

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

OE2023: Iniciativa Liberal vai insistir no desagravamento de vários impostos

O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse hoje, em Coimbra, que o partido vai apresentar cerca de uma dúzia de propostas de alteração ao Orçamento de Estado para 2023, que visam o desagravamento de vários impostos.

OE2023: “É insano pretender que a política orçamental seja a salvadora de todos”, diz coordenador da UTAO

Em entrevista à Lusa, Rui Nuno Baleiras, coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), defende que a política orçamental não pode anular o efeito da política monetária, sob pena de agravar as condições futuras.
Comentários