Zelenskiy alerta membros da NATO que Moscovo procura “nova ordem mundial”

“Esta não é uma guerra travada pela Rússia apenas contra a Ucrânia. Esta é uma guerra pelo direito de ditar as condições na Europa e como será a futura ordem mundial”, afirmou Zelenskiy num discurso por videoconferência durante a cimeira da NATO em Madrid.

Volodymyr Zelensky/Twitter

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse esta quarta-feira, 29 de junho, aos líderes da NATO que o país precisa de mais armas avançadas e dinheiro para defender a ofensiva Rússia, alertando que as ambições de Moscovo a Rússia, alertando que as ambições de Moscovo não param na Ucrânia e que Putin procura uma nova “ordem mundial”, avança a “Reuters”.

“Esta não é uma guerra travada pela Rússia apenas contra a Ucrânia. Esta é uma guerra pelo direito de ditar as condições na Europa e como será a futura ordem mundial”, afirmou Zelenskiy num discurso por videoconferência durante a cimeira da NATO em Madrid.

O presidente ucraniano sublinhou que é “absolutamente necessário apoiar a Ucrânia com armas, dinheiro e sanções políticas contra a Rússia, o que impedirá a sua capacidade de pagar pela guerra”.

Zelenskiy referiu que a Ucrânia precisa de mais sistemas modernos de mísseis e defesa aérea para combater a artilharia russa. “Ao nos fornecerem sistemas de armamento mais moderno, podemos quebrar completamente as táticas da Rússia de destruir cidades e aterrorizar civis”.

Moscovo apelida as suas ações em território ucraniano como “operação militar especial”, cujo objetivo é desarmar o país e livrá-lo do que chama de “nacionalismo anti-russo fomentado pelo ocidente”. Já a Ucrânia e o ocidente apontam que a Rússia lançou uma guerra de agressão não provocada.

Zelenskiy também alertou que a Rússia não quer interromper a conquista de áreas no sul da Ucrânia e na região de Donbass, no leste, onde as batalhas mais intensas da guerra estão a ser travadas.

“Ele quer absorver cidade após cidade na Europa, que a liderança russa considera sua propriedade e não estados independentes. Esse é o objetivo real da Rússia”, disse Zelenskiy.

“A questão é: quem é o próximo alvo da Rússia? Moldávia? Estados Bálticos? Polónia? A resposta é: todos eles.”

O presidente ucraniano afirmou ainda que a NATO estava a adaptar uma nova estratégia de dez anos que era “antes de tudo uma estratégia para a segurança das suas sociedades e dos seus estados”, enquanto a Ucrânia sofria “mísseis de cruzeiro, tortura, assassinato de crianças e violações de mulheres”.

“O apoio financeiro à Ucrânia agora não é menos importante do que a ajuda com armas. Precisamos de cinco mil milhões de dólares por mês, isso é fundamental. É exatamente o que é necessário para a defesa, para a segurança”, concluiu.

Recomendadas

Primeiro navio com cereais ucranianos chega à Turquia e espera comprador

O primeiro navio carregado de milho que deixou o porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, rumo ao Líbano, atracou no porto turco de Mersin e aguarda um comprador para a mercadoria, confirmou fonte diplomática da Ucrânia.

Ucrânia. Espanha testa saída de cereais ucranianos por comboio

Espanha avançou com um teste para retirar da Ucrânia cereais para exportação por comboio, em alternativa ou complemento à via marítima, condicionada pelo impacto da guerra nos portos ucranianos, anunciou hoje o executivo espanhol.

Ucrânia. Secretário da Defesa dos EUA promete mais armamento a Kyiv

O secretário da Defesa norte-americano, Lloyd Austin, declarou hoje que confia no envio de armamento à Ucrânia pelos Estados Unidos, NATO e restantes aliados “durante o tempo que seja necessário” para que o país defenda a sua soberania.
Comentários