Zelensky acusa Rússia de enviar mensagem ao G20 com míssil na Polónia

Há “um Estado terrorista entre vós, contra o qual temos de nos defender”, disse Zelensky numa segunda intervenção por videoconferência na cimeira do G20, segundo texto do discurso visto pela agência francesa AFP.

Volodymyr Zelensky/Twitter

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acusou hoje a Rússia de ter querido enviar uma mensagem ao G20 com o ataque na Polónia, que atribuiu às forças russas.

Há “um Estado terrorista entre vós, contra o qual temos de nos defender”, disse Zelensky numa segunda intervenção por videoconferência na cimeira do G20, segundo texto do discurso visto pela agência francesa AFP.

A Polónia, que é membro da NATO, disse que um “projétil de fabrico russo” caiu no seu território na terça-feira, próximo da fronteira com a Ucrânia, provocando a morte de duas pessoas.

A Rússia bombardeou infraestruturas de energia por toda a Ucrânia na terça-feira.

O Ministério da Defesa russo negou que o míssil que atingiu a Polónia tenha sido disparado pelas suas forças.

A cimeira, em que Zelensky participou no primeiro dia, na terça-feira, terminou hoje em Nusa Dua, na ilha indonésia de Bali, com a aprovação de uma declaração segundo a qual a maioria dos membros do G20 “condenou veemente a guerra na Ucrânia”.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Hungria veta ajuda à Ucrânia, forçando UE a procurar solução alternativa

Segundo o “Politico”, o veto húngaro significa ainda que as decisões sobre todos os outros assuntos na agenda dos ministros das Finanças —  incluindo uma taxa mínima de imposto corporativo, o plano de recuperação húngaro e a decisão de congelar 7,5 mil milhões de fundos da UE para a Hungria — foram adiados.

Ucrânia: Regulador cancela licença de emissão de televisão russa na Letónia

Numa publicação feita na rede social Twitter, o regulador acusou o canal russo no exílio de uma série de violações das leis da Letónia, nomeadamente por ter mostrado a península da Crimeia como parte da Rússia num mapa.
Comentários