Zelensky afirma intenção de recuperar Crimeia e pede mais armas aos parceiros

“A Crimeia é nossa terra, nosso território, nosso mar e nossas montanhas. Deem-nos as vossas armas e teremos as nossas terras de volta”.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse hoje que quer recuperar a Crimeia, região anexada pela Rússia em 2014, e apelou aos parceiros ocidentais para entregarem mais armas.

“O nosso objetivo é libertar todos os nossos territórios”, disse o líder ucraniano, que falava numa videoconferência à margem do Fórum de Davos, na Suíça.

“A Crimeia é nossa terra, nosso território, nosso mar e nossas montanhas. Deem-nos as vossas armas e teremos as nossas terras de volta”, referiu.

Na ocasião, o líder de Kiev também criticou a hesitação da Alemanha em autorizar a entrega de tanques pesados, dizendo que essa não é a “estratégia certa”.

O Presidente ucraniano apontou ainda que várias teorias estão a ser investigadas sobre a queda do helicóptero perto de um infantário em Kiev, que matou na quarta-feira o ministro do Interior do país e mais de uma dezena de pessoas.

“A investigação está em andamento. Várias teorias estão a ser estudadas e não estou autorizado a falar sobre as diferentes hipóteses até ao desfecho das investigações”, explicou o dirigente.

Na quarta-feira, logo no início do discurso no Fórum Económico de Davos, Zelensky pediu um minuto de silêncio pelas vítimas da queda de um helicóptero militar.

Além do ministro do Interior ucraniano, Denys Monastyrsky, o helicóptero transportava o vice-ministro e o secretário de Estado ucranianos.

Recomendadas

Moscovo e Kyiv anunciam “troca especial” de 179 prisioneiros de guerra

As autoridades ucranianas anunciaram este sábado a libertação de 116 soldados e membros das forças de segurança do seu país, num grupo que inclui “defensores” de Mariupol, Gerson e Bakhmut, enquanto a Rússia divulgou a libertação de 63 militares.

Ucrânia. Portugal vai enviar tanques Leopard 2 e está em curso operação com Alemanha

O primeiro-ministro assegurou este sábado que Portugal vai ceder às Forças Armadas ucranianas tanques Leopard 2 e adiantou que está neste momento em curso uma operação logística com a Alemanha para recuperação de alguns carros de combate.

PremiumJá não há forma de a guerra escapar a uma escalada de violência

A decisão de enviar tanques de guerra ocidentais para a Ucrânia transformou os próximos meses numa ‘janela de oportunidade’ para as tropas russas. As notícias de que Moscovo está a preparar nova ofensiva para fevereiro ou março têm tudo para serem levadas a sério.
Comentários