AHETA

Empresas turísticas do Algarve pedem apoios a fundo perdido ao Governo

A AHETA acredita que cabe “ao governo criar as condições financeiras e fiscais destinadas a evitar o colapso das empresas” e aponta que ” o impacto da crise pandémica na tesouraria das empresas ao longo dos últimos meses acentuou não só a diminuição das receitas empresariais, mas também os incumprimentos respeitantes a compromissos financeiros e outros”.

Época turística algarvia apresenta os “piores resultados de sempre”, aponta AHETA

Entre abril e outubro, o Algarve registou uma descida de 65,5% e a ausência dos britânicos foi apontada como uma das causas para esta redução. Tendo em conta o panorama atual, a AHETA pede ao Governo “que se ponha mais a par dos acontecimentos” e que crie condições “que permitam às empresas suportar as dificuldades financeiras”.

Hotelaria do Algarve considera reconversão dos trabalhadores do turismo “empobrecer o país”

AHETA diz ao Jornal Económico que o “Estado tem de criar condições para requalificar, mais que reconverter, os recursos humanos associados ao turismo”.

Hotéis do Algarve com quebra de 60% em julho: “Mercado britânico foi o que mais contribuiu para a descida”

A Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve destacou a diminuição homóloga, tendo a taxa de ocupação global média ficado nos 33,2%.

Ainda não é desta que nos tornamos a Noruega

Vale a pena arriscar a costa à procura do ouro negro? Há argumentos dos dois lados, mas a resposta final fica outra vez adiada.