APEMIP

Venda de imóveis registam quebra de 82% em janeiro

O impacto da pandemia é forte num sector em que os canais digitais não substituem eficazmente as visitas presenciais aos imóveis, como aponta a associação, que destaca ainda a quebra nos preços praticados e na procura.

APEMIP defende extensão das moratórias “por pelo menos um ano”

Luís Lima assume que o ideal seria que o prolongamento das moratórias pudesse ser durante o tempo necessário para uma total recuperação da economia. Responsável salienta que o sector encontra-se neste momento “exposto a uma elevada desproteção”.

Conter a bomba-relógio

Estes são tempos exigentes e difíceis, pelo que é indispensável apostar em reformas e mudanças eficazes, assentes em decisões estruturais que permitam ainda iniciar um ciclo de recuperação.

Sector imobiliário pede a Costa e Marcelo regime de exceção

Carta enviada pela APEMIP conta com mais de três mil assinaturas de mediadores imobiliários onde pedem para que sejam autorizadas as visitas presenciais a imóveis cumprindo as medidas de higiene e segurança da Direção Geral de Saúde.

Mais de 90% das imobiliárias registaram quebras no volume de negócios em abril

Inquérito da APEMIP revela que 50% das empresas inquiridas suspenderam totalmente a sua atividade, sendo que 45,8% optaram pela suspensão parcial.

Quase 100% das imobiliárias registam quebras na procura e negócios

Inquérito realizado pela Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) às imobiliárias revela quebras na procura e nos negócios provocadas pelo surto do coronavírus.

Imobiliárias pedem cautela na introdução de alterações aos vistos gold

O Programa de Autorização de Residências para Atividades de Investimento foi criado em 2012 e até hoje foram foram atribuídas 8.207 autorizações de residência, que correspondem a um investimento de mais de 4,9 mil milhões de euros em Portugal, dos quais 4,5 mil milhões de euros correspondem a investimento imobiliário.

Franceses campeões do investimento no imobiliário em Portugal no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2019 os franceses foram os estrangeiros que mais investiram no imobiliário português, de acordo com o Gabinete de Estudos da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal. Investimento estrangeiro representa já cerca de 16% do total das transações no sector.

Vender uma casa em Portugal demora em média seis meses

A solução estará, no entender do presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária, na introdução de mais ativos habitacionais no mercado, sobretudo dirigidos para a classe média ou média baixa.
Ver mais artigos