assassinato

Terrorismo

As leituras mediáticas do acto, uma efectiva declaração de guerra, são esclarecedoras. Em Portugal e noutras latitudes. E põem a nu, mais uma vez, a quem servem os órgãos da comunicação social dominante.

Guerra ou tática

Trump, que deu ordem para o assassinato do oficial iraniano, não é um líder militar mas um gestor tático, que só gosta de trabalhar em cima de negociações difíceis e de extremos.

Balas que mataram Marielle Franco são da Polícia Federal de Brasília

As munições utilizadas no ataque de anteontem que matou Marielle Franco e o seu motorista, no Rio de Janeiro, Brasil, pertencem a uma série de lotes adquiridos pela Polícia Federal de Brasília em 2006. Atacantes dispararam 13 vezes, a menos de dois metros de distância do automóvel.

Parlamento português condena morte de Marielle Franco e faz minuto de silêncio

O texto aprovado pelos deputados refere que Marielle Franco era relatora da comissão de acompanhamento da Intervenção Federal no Rio de Janeiro e, “nos últimos dias, havia denunciado o assassinato de jovens negros pela Polícia Militar do estado”.

Vereadora e ativista dos direitos humanos executada a tiro no Rio de Janeiro

Marielle Franco foi atingida por múltiplos disparos. O motorista que conduzia o automóvel também morreu na sequência do ataque, junto à prefeitura do Rio de Janeiro. No dia anterior, a vereadora lamentara “mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da Polícia Militar”.

NATO não quer “nova Guerra Fria” com a Rússia

“Estamos preocupados com a falta de transparência quando se trata de exercícios militares”, disse esta segunda-feira o ecretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

Detido homem que queria assassinar Macron no Dia da Bastilha

A polícia francesa deteve um cidadão que planeava assassinar Emmanuel Macron no Dia da Bastilha, 14 de julho, durante a visita oficial de Donald Trump e no decorrer do desfile nos Campos Elísios.

Assassino do Facebook encontrado morto num carro depois de três dias de buscas

Steve Stephens era procurado pela polícia por ter disparado mortalmente sobre Robert Goodwin Sr., quando o idoso regressava a casa depois de ter almoçado com a família no domingo de Páscoa.

Mulheres indiciadas pela morte do meio-irmão do líder norte-coreano podem ser condenadas a pena de morte

Kim Jong-nam, de 46 anos, morreu a caminho do hospital a 13 de fevereiro, de paragem cardíaca, depois de ter sido atacado por duas mulheres com recurso a um gás altamente tóxico e letal, no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia.
Ver mais artigos