assassinatos

A “diplomacia” do assassinato político

É fundamental condenar o terrorismo de Estado e os assassinatos extrajudiciais como um comportamento reprovável, sobretudo quando praticados por democracias.

Presidente das Filipinas acusado de dirigir “esquadrões da morte” para eliminar oposição

A confirmação da existência do grupo por Arturo Lascañas vem agora dar um novo ímpeto às investigações e comprovar as declarações de outro ex-membro dos esquadrões, Edgar Matobato, que em dezembro já tinha acusado Rodrigo Duterte de ter sido o mentor de vários assassínios em Davao.

Venezuela: Criminalidade violenta aumenta com crise económica

Em janeiro, o número de pessoas assassinadas em crimes violentos foi de quase 2.500, o que equivale a uma média de 80 mortes por dia. A Venezuela é o segundo país mais violento do mundo, apenas ultrapassado pelo El Salvador.