Banco de Inglaterra

“Mercados em Ação”. “Natal pode ser indicador importante para perceber a força do consumidor”

A Reserva Federal norte-americana e Banco de Inglaterra voltam a subir as taxas de juro. O que reservam os próximos meses em termos de política monetária? Veja a análise do economista Luís Tavares Bravo na última edição do programa da JE TV, “Mercados em Ação”.

As decisões da Fed e do Banco de Inglaterra. O futuro da China e do Twitter. Ouça o podcast “Mercados em Ação”

No “Mercados em Ação”, podcast do JE, vai poder contar com a análise de especialistas em temas como ações e obrigações; investimento e poupança; BCE e FED; resultados e empresas; análises e gráficos.

Decisões da Fed e do Banco de Inglaterra. Futuro da China e do Twitter. Veja o “Mercados em Ação”

A política monetária parece limitada à subida das taxas de juro com Fed e Banco de Inglaterra a prosseguir esta tendência. Até onde podem subir e que efeitos podem ter? Este será um dos temas em análise neste programa da plataforma multimédia JE TV. O economista Luís Tavares Bravo é o convidado desta edição.

Trussonomics: a priorização do crescimento económico

Será que a falta de credibilidade deste novo governo pode criar uma maior volatilidade na sua moeda? Sentir-se-ão os investidores seguros para voltar a investir na libra após esta demonstração de incerteza nas próprias medidas aplicadas?

Fim de ciclo

A atual crise inflacionária é perigosa, uma vez que tem origem numa subida dos preços da energia que criam um aumento na desigualdade, que apenas pode ser combatida por um aumento da oferta.

‘Policy mistake’

Vários bancos centrais de “segunda linha” já subiram taxas de juro recentemente, mas agora que se fala na possibilidade de o Banco de Inglaterra e a Fed fazerem o mesmo discute-se se essa será uma boa decisão.

Exuberância exuberante

Os bancos centrais estão a acumular ativos a uma taxa que não é suportável a prazo, sob pena da política monetária passar a ter só um sentido, como a política fiscal. Temos que ultrapassar a crise antes desse dia.

Andy Haldane deixa cargo de economista-chefe do Banco de Inglaterra

O economista vai liderar a Royal Society for Arts, Manufactures and Commerce (RSA), que foi fundada em 1754.

Banco de Inglaterra não deve precisar de taxas negativas, mas não fecha a porta

O banco central liderado por Andrew Bailey abriu a porta a taxas de juro abaixo de 0%, mas a opção deverá ficar na “caixa de ferremantas” na reunião de hoje, apesar de um debate alargado sobre o assunto. As perspectivas económicas estão um bocado mais positiva, com a vacinação e a queda no número de casos, e portanto reduzem a necessidade de mais estímulos.
Ver mais artigos