Deco

Cabaz de bens alimentares essenciais custa hoje mais 41,04 euros do que há 11 meses

Desde que a guerra na Ucrânia começou, o cabaz de bens alimentares essenciais aumentou 22,35% (mais 41,04 euros), custando agora 224,67 euros fase aos 185 euros registados em fevereiro, alerta Deco Proteste. Já desde que o ano de 2023 começou, o cabaz de alimentos já registou uma subida de 5,27 euros (2,40%). A contribuir para este aumento está, por exemplo, a pescada, que, entre 4 e 18 de janeiro deste ano, já aumentou 3,39 euros (41%). Também o arroz carolino continua em rota ascendente, quase duplicando o preço.

Há 37 empresas a operar em Portugal entre as distinguidas em 2023 pelo Top Employers. Veja aqui quais são

A nível mundial sobem ao pódio das melhores práticas de Recursos Humanos 2.053 empresas, das quais 37 no nosso país. O Jornal Económico associa-se à iniciativa publicando no dia 17 de fevereiro um Especial sobre as empresas portuguesas distinguidas este ano como Top Employers.

Cabaz de bens alimentares essenciais custa hoje mais 35 euros do que há nove meses

Desde que a guerra na Ucrânia começou, o cabaz de bens alimentares essenciais aumentou 19,31% (mais 35,44 euros), custando agora 219,07 euros fase aos 185 euros registados em fevereiro, alerta Deco Proteste. O peixe e os laticínios são as categorias com os maiores aumentos entre 23 de fevereiro e 7 de dezembro, com subidas de 22,64% e 22,10%, respetivamente.

Direção Geral do Consumidor vai lançar plataforma para cancelar contratos de comunicações

Desemprego ou baixa médica, alteração de residência para fora do território nacional ou ausência da residência por incapacidade, doença prolongada ou estado de dependência de cuidados prestados ou a prestar por terceira pessoa serão razões válidas para o cancelamento.

Açúcar, laranja e pescada aumentaram mais de 40% desde o início da guerra

Cabaz de bens alimentares essenciais custa hoje mais 27 euros do que há nove meses, alerta a Deco Proteste. Aos produtos com maiores aumentos de preços juntam-se ainda a carne que subiu 21%, os lacticínios que estão 19% mais caros e frutas e legumes com aumentos de 15% nos preços desde o início da guerra.

Em seis meses, cabaz de bens alimentares essenciais passou de 185 para 206 euros, alerta Deco Proteste

Desde que a guerra na Ucrânia começou, o cabaz de bens alimentares essenciais aumentou 21 euros. A pescada fresca e os brócolos sofreram o maior aumento de preço entre 1 de março e 31 de agosto, de 67% e 47%, respetivamente. Também na maioria dos alimentos de primeira necessidade encareceram: em 63 produtos, 55 aumentaram de preço. É o caso do óleo alimentar, batata vermelha, frango inteiro, bife de peru e das costeletas de porco.

Famílias aliciadas a contratar dois créditos em simultâneo

A edição do semanário o NOVO que este Sábado chega às bancas denuncia o problema e adianta que o Banco de Portugal admite vir a “adoptar medidas adicionais” se o problema se generalizar.

DECO exige redução do IVA para 6% na eletricidade e gás em toda a fatura (com áudio)

Perante o aumento “insustentável” dos preços da energia, a DECO Proteste exige que o Governo implemente “soluções estruturais” para combater este cenário. Numa carta aberta enviada para vários Ministérios, a Associação de Defesa do Consumidor defende uma redução da taxa de 6% na fatura do gás e da eletricidade e também descida do imposto sobre os combustíveis.

Deco aplaude regresso ao mercado regulado de gás natural mas pede descida do IVA (com áudio)

O Governo anunciou hoje que vai propor o levantamento das restrições legais existentes, para permitir o acesso às famílias e pequenos negócios ao mercado regulado, face aos aumentos anunciados na quarta-feira.
Ver mais artigos