Eleições Legislativas de 2019
Octávio Passos/Lusa

Marcelo garante estar “exatamente empenhado na estabilidade como esteve na última legislatura”

Com a reunião com todos os partidos marcada para terça-feira, Marcelo Rebelo de Sousa admite que tenciona ouvir as forças políticas nacionais e “dizer às forças políticas, que tal como aconteceu com a legislatura anterior, o Presidente vai fazer de tudo para que haja estabilidade”. 

Pedro Santana Lopes: “O Aliança é como o Cidadãos em Espanha”

Ex-primeiro-ministro e ex-líder do PSD garante que o seu novo projeto político irá continuar mesmo que não eleja qualquer deputado nas legislativas deste domingo. Sem ser liberal, promete reduções de impostos e estar atento ao “Estado insensível”.

António Costa vs André Silva: um debate “sem divisões” com o PAN a elogiar “evolução positiva” do PS

Debate entre dirigentes mostrou proximidade nas questões orçamentais. Divergências apareceram no ritmo de encerramento das centrais a carvão, na agricultura e no turismo intensivo.

A fábula ibérica

Este PS vai pedir votos para a realização de reformas que sabe que não vai fazer, para realizar acordos que não vai cumprir, e com a certeza de que os parceiros não serão brandos.

Pela saúde da democracia

É de políticas que temos de falar e, através delas, avaliar o “estado do Estado” e não recorrentemente dos políticos.

Um Orçamento focado nas eleições

O Governo tende a apostar mais no consumo sacrificando o investimento, o que não ajuda à produtividade e ao aumento do PIB potencial.

Medina promete cumprir mandato e exclui lugar no Governo

Nos bastidores do PS debate-se a hipótese de recrutar Medina para o novo Governo resultante das eleições legislativas de 2019. Confrontado pelo Jornal Económico, o autarca garante: “Não admito essa hipótese”.

“The Economist”: Governo de esquerda português “está a prosperar” porque “não é especialmente de esquerda”

“A social-democracia está a tropeçar em toda a Europa, excepto em Portugal”, salienta a revista britânica “The Economist”, em artigo publicado na edição desta semana. O primeiro-ministro António Costa é citado no artigo, garantindo que a “geringonça” vai sobreviver até às eleições legislativas de 2019. E mais além? “Porque não?”

Montenegro: “Hoje neste congresso arrancamos para vencer as terceiras eleições legislativas consecutivas”

“E arrancamos para tornar a governar o nosso país”. Foi assim que Luís Montenegro iniciou o seu discurso no 37º Congresso Nacional do PSD. Ou seja, colocando a fasquia no patamar mais alto – “para vencer” e “para tornar a governar” -, sob o olhar atento do novo líder. “O PS capitulou nos braços da esquerda radical e por mim digo não, o PSD não pode capitular nos braços deste PS”, defendeu.
Ver mais artigos