execução

Fundação Calouste Gulbenkian apoia projetos de criação artística

Estão abertas, até 31 de março, as candidaturas a apoios da Gulbenkian para projetos de criação artística. Artes Performativas, Artes Visuais e Cinema são as áreas contempladas.

Falta óleo no motor da economia para 2023

O crescimento do investimento, o óleo no motor da economia, estará bastante alavancado no investimento público, sendo que perto de metade será financiado pelo PRR, cuja taxa de execução tem ficado dramaticamente abaixo do previsto. Mário Centeno assim o disse.

Investimento

Há a suspeita de que, de novo, o investimento esteja a ser usado como instrumento de controlo das contas públicas. Por isso, não se pode confiar na meta governamental de aumentar o investimento em 37% no próximo ano.

Os atrasos absurdos do PRR

Onde não deveria ter havido pressa, na escolha e contratação dos projetos, houve. Onde deveria haver um bom ritmo, na execução e pagamento do já aprovado, não há: todos os meses o montante dos atrasados vai crescendo.

PRR, o debate sobre a execução

O que não é possível é emperrar a execução do PRR à custa de burocracia e exigir celeridade ao mesmo tempo. Sejamos sensatos.

Uns momentos de iconoclasta

Que estratégia está por trás deste orçamento? Nem se falou. Um exemplo. Estamos numa subida galopante dos combustíveis. Um problema mundial e europeu, com impactos ainda imprevisíveis mas bem temerosos. 

O Plano de Recuperação e Resiliência: dúvidas e desafios

Trata-se de um plano essencialmente do lado da oferta, que pouco ou nada contempla o lado da procura, em particular de estímulo à procura interna e o incremento do rendimento das famílias por via, por exemplo, da fiscalidade.

OE 2021: centralização ao quadrado

O facto de as regras de execução serem dadas a conhecer cada vez mais tarde pode vir a afetar seriamente o próprio regime de autonomia financeira, pondo em causa atividade de algumas entidades públicas.

Extensões dos Metros de Lisboa e do Porto vão ser inscritas no Plano de Resiliência

António Costa revelou hoje que a Comissão Europeia aceitou que os planos de aquisição de material circulante ferroviário sejam candidatados pelo Quadro Financeiro Plurianual, pelo que o Governo decidiu retirar estas candidaturas do Plano de Recuperação e Resiliência e substituí-las pelos projetos de investimento nas estensôes dos metros de Lisboa até Alcântara e do Porto até às Devesas, que antes aguardavam financiamento para avançar.
Ver mais artigos