Fake News

Fundo europeu já canalizou cinco milhões de euros para combater a desinformação

Estão abertas até 28 de fevereiro de 2023 uma ronda de apoios destinados à promoção da verificação de factos na Europa.

Desinformação ou opinião desinformada

A NATO nunca invadiu qualquer país nem obriga algum que seja a integrar a organização à força, tal como não vocaliza ameaças nucleares aos seus adversários. Comparar as decisões de países livres e democráticos com a decisão da Rússia é apenas má-fé e um argumento insidioso.

Ciber caos. Conflito na Ucrânia faz aumentar volume de notícias falsas

A CPR alerta para grupos de hacktivistas que fazem reivindicações falsas de supostos ciberataques bem-sucedidos, bem como espalhar informação falsa com o objetivo de polarizar opiniões e escalar o conflito.

Saiba como distinguir conteúdos credíveis de “fake news”

A DECO deixa-lhe aqui algumas dicas para poder distinguir estes conteúdos online.

Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira alerta jovens para o perigo das “notícias falsas”

Na sua opinião, todo este exercício de democracia deve ser executado de forma a assegurar a continuidade das redes sociais como espaço que viabiliza a liberdade de expressão. Constatando que “a democracia clássica parece ter dado lugar à democracia digital”,  é crucial que se saiba “lidar com a revolução digital e a comunicação descontrolada” nestes espaços.

WhatsApp, Facebook e Twitter são os maiores viveiros de ‘fake news’ sobre a Covid-19

Entre os conteúdos identificados pela empresa de segurança, estão campanhas de «desacreditação e difamação» de instituições, empresas e marcas.

O regresso da velha censura?

Uma coisa é denunciar o conteúdo do artigo 6ª da Carta, pelos riscos censórios que a sua abrangência comporta, outra é achar que as ‘fake news’ devem poder continuar a circular livremente.

Direitos da era digital: no melhor pano cai a nódoa

A eterna história de todas as censuras é esta: proteger as pessoas daquilo que lhes faz mal ler, ver ou ouvir. É para o bem delas. Ainda que o não queiram, têm o direito a ser protegidas.

O ópio dos imbecis

Os conspiracionistas rejeitam a razão e a ciência e, com base no preconceito e na crendice, alimentam aquilo a que chamam de “realidades alternativas”.
Ver mais artigos