genéricos

50% são 50%

Estudos empíricos confirmam que quanto maior o nível de desenvolvimento económico e social de um país, maior a penetração dos medicamentos genéricos face aos de marca. Portugal ainda está longe de ombrear com os melhores.

Presidente da Mylan para a Europa: “Atraso nos genéricos têm custado centenas de milhares de euros ao SNS”

“Usando um exemplo de arbitragem, cuja validade dos direitos intelectuais não foi avaliada pelos tribunais de arbitragem, estimamos que o SNS teria poupado mais de 40 milhões de euros num ano, o equivalente ao tratamento de mais de 35 mil pacientes”, realça Jacek Glinka.

Mercado europeu de genéricos vai crescer até 2020

O crescimento será mais forte em países, como a França, que promove ativamente a utilização deste tipo de medicamentos, e em países como a Itália, onde a penetração é baixa.

Saúde: três genéricos permitem poupança de 30 milhões de euros em 2017

Só um tratamento na área do cancro e outro contra o VIH permitiram uma redução de despesa de 25,5 milhões de euros.

Países europeus poupam 100 mil milhões por ano com genéricos

Sem o uso de medicamentos genéricos, os países europeus gastariam mais 100 mil milhões de euros por ano no tratamento de doentes.