hospitais privados

Saúde pública ou privada: qual é a solução?

Copiar os bons exemplos e esperar que o novo caminho que está a ser tomado pelo SNS, com a nomeação de um CEO, que deverá implementar uma estratégia de organização focada numa correta gestão, seja a resposta necessária.

Minhas senhoras, parir só depois das férias!

Vamos todos a banhos, mas esquecemo-nos que nesta guerra novelesca quem está a sofrer, em muitos casos gravemente, são as mulheres que menor possibilidade de escolha têm e, em fim de linha, os bebés.

O SNS não é de esquerda nem de direita

António Costa foi clarinho como a água: Marta Temido tem um orçamento anual equivalente ao da bazuca que o país vai agora receber da UE para se modernizar. E foi simples a mensagem: “resolva o problema senhora ministra!”

O problema dos hospitais deve-se a má gestão

A responsabilidade não é apenas de quem nos governa. A Ordem dos Médicos tem uma grande responsabilidade no estado a que a Saúde chegou em Portugal, atuando frequentemente como uma força de bloqueio.

Catarina Martins ouve de António Costa que “ainda não chegámos ao ponto” da requisição civil da saúde privada

Coordenadora do Bloco de Esquerda disse que as camas disponibilizadas pelos hospitais privados são “uma gota de água no meio de um tsunami” e voltou a exigiri que toda a capacidade instalada de saúde em Portugal fique “sob a alçada e articulação” do Serviço Nacional de Saúde.

Privados com 669 camas afetas ao SNS, 86 para doentes da pandemia Covid-19

Os hospitais privados disponibilizaram ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) 669 camas, 86 das quais para doentes covid-19, revelou esta sexta-feira o presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP).

Um governo que não serve ao país

A requisição civil será mais uma medida selvagem para colmatar uma péssima gestão onde seria suficiente planear e protocolar com os serviços de saúde privados.

BE recebe “com agrado” possibilidade de recurso à requisição civil aos hospitais privados

A coordenadora do Bloco de Esquerda lembrou que a possibilidade está prevista na lei de bases da saúde aprovada no ano passado à esquerda e argumenta que seria uma medida que protege os interesses públicos financeiros do país.

Faz sentido adotar medidas mais duras sem reforçar o SNS?

Se os privados continuam a ver aumentada a sua fatura ao Estado é porque estamos a tirar recursos da resposta pública. O SNS precisa de reforço humano, financeiro e material.
Ver mais artigos