IDE

Câmara do Funchal cria ‘via verde’ para apoio rápido aos empresários

O Balcão do Investidor da Câmara do Funchal será o interlocutor de primeira linha na comunicação com o IDE, que ajudará a simplificar circuitos e potenciar a otimização dos fundos disponíveis.

Que partidos apoiam mais a “inovação”?

Não é por acaso que Portugal tem batido recordes na atração de investimento direto estrangeiro, que em 2021 atingiu um máximo de 2,7 mil milhões de euros. Aliás, Portugal está no TOP 10 dos países mais atrativos para investir.

Madeira: Empresas já podem solicitar conversão dos empréstimos em fundo perdido da linha INVESTE-RAM COVID-19

De acordo com o IDE, até à presente data, foram enquadradas 2.659 operações de crédito, que correspondem a um montante de 94 milhões de euros, de um total 100 milhões.

Qualidade de vida, infraestruturas e talento atraem cada vez mais IDE para o País

Portugal assegura 154 projetos de investimento direto estrangeiro e entra no top 10 dos países que revelaram maior capacidade de atração na Europa.

Presidente do IDE realça que Madeira foi a única região do país a dirigir apoios para o funcionamento das empresas

Duarte Freitas revelou ainda que os apoios na esfera deste Sistema de Incentivos já “superam largamente” a dotação inicial de 58 milhões de euros, sendo que tudo o que foi pago além deste valor foi feito “à conta, exclusiva, do esforço do Orçamento da Região”.

Investir mais e bem

É urgente diversificar as fontes de financiamento em Portugal, melhorando o acesso das PME ao mercado de capitais, dinamizando o capital de risco público e privado e apoiando a capitalização das empresas.

Vantagens competitivas

É ao Estado e ao governo que compete criar as vantagens competitivas estruturais, para que, na hora da decisão, o investidor opte pelo nosso país. Sem esquecer outros factores, como a produtividade que induz a competitividade.

Rui Barreto pede que a Madeira seja incluída nos instrumentos disponibilizados pelo Banco de Fomento

O secretário regional da Economia referiu que se tem constado nesta pandemia que “algumas empresas que têm viabilidades económica, que têm projetos sólidos estão com problemas da sua tesouraria, e que precisam da capitalização das suas empresas, do financiamento, conjugado com incentivos ao investimento, que poderão ter componente de fundo perdido mais acentuada”.

Somos tão estúpidos… afinal é fácil!

A única coisa que cresce em Portugal é a carga fiscal. E o Estado. O peso do Estado. O compadrio do Estado. A família que se confunde com o Estado.
Ver mais artigos