índices bolsistas

Gestão de activos e a luta contra as alterações climáticas

Uma coisa é certa, todas as gestoras de activos podem usar a influência para incentivar a gestão das empresas a adoptar comportamentos mais amigos do ambiente.

Antes da capitulação

As fortes quedas persistem na maior parte dos ativos. Será que este ‘bear market’ está para durar?

Irrepetível?

Está a ser um ano muitíssimo proveitoso para os investidores. A grande questão para 2022 é se tudo isto é sustentável.

Evergrande abana Wall Street em véspera de Fed

A correção na sessão de segunda-feira foi, na prática, o movimento pelo caminho de menor resistência.

Caro é o novo normal, versão 2021

Por cima de um ambiente de taxas de juro perto de zero, onde já é propício a que os preços dos ativos se tornem caros, a economia global foi literalmente inundada com liquidez, através da impressão de nova moeda.

A desigualdade dos índices

Os índices deveriam, por defeito, ser representativos da economia, servir como referência para os investidores e como barómetro da economia para os economistas e políticos, tudo o que não acontece actualmente.

Seja 95 ou 90, o que se quer é passar a tormenta

Acredita-se ainda que novos concorrentes possam entrar na corrida às vacinas. Para nós, a esperança cresce. Para os principais índices bolsistas americanos, os máximos sobem à boleia das boas notícias.

O golo do século e a política monetária

A natureza dos mercados financeiros é estar sempre a descontar o futuro. E a atual boa performance parte dessa premissa, de um futuro mais auspicioso, sem Covid-19 e livre do protecionismo americano dos últimos anos.

O darwinismo dos índices

A característica mais interessante dos índices é a sua evolução ao longo do tempo. Os critérios de entrada e saída das ações do índice fazem com que a sua constituição vá mudando, resultando numa “seleção natural”.
Ver mais artigos