inflação

O início da queda dos juros

Há luz ao fundo do túnel. O mercado prevê que os juros na Zona Euro possam baixar 0,75% entre Dezembro de 2023 e Dezembro de 2024, estabilizando em 2,5%.

Romper o ciclo de empobrecimento

Os trabalhadores têm de se mobilizar, mesmo aqueles que foram educados a pensar que a rua era só para alguns. Mas a rua é de todos.

“Descida da inflação não é descida dos preços”. Mariana Mortágua acusa Governo de criar equívoco

Deputada bloquista diz que o Governo liderado por António Costa criou um “equívoco” quando disse que a inflação era temporária.

Policrise testa Ocidente

A curto prazo, a economia poderá não sofrer tanto como se temia ainda há pouco, mas no médio e longo prazo temos policrise: guerra, alterações climáticas e transição energética, recuo da globalização, pandemia(s), inflação elevada, pobreza alimentar, etc.

‘Inflation Reduction Act’ ou o feitiço do feiticeiro

Esta proposta, discutida em Davos, foi, recebida como um exercício de protecionismo por aquele que, pela sua condição de líder mundial, se tem assumido como o bastião da globalização.

Delfos, não Davos

O que vai acontecer não deverá trazer surpresas; é a interpretação do que for dito e das minutas da reunião que vai ser interessante. E isto porque a Fed e o mercado estão, pela primeira vez nos tempos recentes, em clara dessintonia.

Cabaz de bens alimentares essenciais custa hoje mais 41,04 euros do que há 11 meses

Desde que a guerra na Ucrânia começou, o cabaz de bens alimentares essenciais aumentou 22,35% (mais 41,04 euros), custando agora 224,67 euros fase aos 185 euros registados em fevereiro, alerta Deco Proteste. Já desde que o ano de 2023 começou, o cabaz de alimentos já registou uma subida de 5,27 euros (2,40%). A contribuir para este aumento está, por exemplo, a pescada, que, entre 4 e 18 de janeiro deste ano, já aumentou 3,39 euros (41%). Também o arroz carolino continua em rota ascendente, quase duplicando o preço.

Expansão de margens

É fácil confundir “lucros excessivos” com economia de mercado, mas a resposta é precisamente a contrária. É absolutamente necessário defender o espaço concorrencial, pois essa é uma das verdadeiras funções do Estado.

Macroeconomia e gestão de carteiras

A correlação entre os retornos de ações e de obrigações varia no tempo e é de estimação difícil. Há vários fatores, de diferente natureza, com relevância preditiva dessa correlação. Dos fatores macroeconómicos, destacam-se quatro: desemprego, crescimento do produto, taxa de juro real e inflação.
Ver mais artigos