Marcelo Rebelo de Sousa

O tempo de Marcelo

Mais recato, menos comentários, a mesma solidariedade institucional. Os passos finais do segundo mandato têm de ser robustecidos de granito e não de plasticina, que é mole e viscosa.

Presidente da República diz que desconhecia custo do altar-palco

O Presidente da República acrescentou que vão decorrer reuniões respeitantes não apenas ao altar mas também aquele que é o conjunto de obras.

Novo fôlego em Belém, o sufoco do costume em São Bento. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Marcelo foi eleito há dois anos, deu tiros no pé, mas renasceu com a crise no Governo

Reeleito com mais de 60% dos votos, no dia 24 de janeiro de 2021, Marcelo Rebelo de Sousa não cedeu à pressão para mudar de estilo. As sucessivas polémicas no Governo colocaram o Presidente da República no “centro da vida política” e ditaram uma atuação mais exigente.

Miguel Relvas: “Marcelo? A sensação que dá é que o Presidente é um ministro adjunto do Governo”

O antigo ministro do Governo liderado por Pedro Passos Coelho, e atual gestor e consultor de empresas, teceu duras críticas a Marcelo relativamente ao mecanismo de escrutínio aos governantes: “Não é competência do Presidente da República, parece o ministro adjunto do Governo”, criticou em entrevista ao JE.

“Este Governo vai ser avaliado em função da TAP”. Veja a entrevista do JE a Miguel Relvas

A gestão da TAP deverá determinar aquele que será o destino deste Governo. A convicção é de Miguel Relvas em entrevista ao JE. O antigo ministro no Governo de Pedro Passos Coelho aborda ainda os desafios da oposição, nomeadamente do PSD, e se o Chega é um obstáculo para que Luís Montenegro seja visto como alternativa. Nesta entrevista, Miguel Relvas tece críticas duras a Marcelo Rebelo de Sousa a quem acusa de alimentar a sua popularidade com um discurso populista.

A nova vida de Costa

A política em Portugal está podre e os partidos mais recentes e sem expressão autárquica têm “batido” no Governo, e a expetativa de um crescimento acelerado vai já sentir-se nas próximas eleições europeias.

Galamba à la Costa

Uma espécie de receita do ‘Chef’ que opta por escolhas erradas que minam a autoridade e prestígio do Executivo, numa lógica taticista que não cuida do futuro.

A Geringonça dava muito jeito

A articulação e negociação quase diária que implicava essa ligação ao PCP e BE aguçava o engenho e a coordenação política do Governo, algo que, visivelmente, colapsou.
Ver mais artigos