negociações

Alteração da narrativa

O general norte-americano Mark Milley deu recentemente nota de que as negociações seriam a solução lógica para o conflito ucraniano, salientando que “ambos os lados devem chegar, por eles próprios, a essa conclusão”.

Prova de fogo à Europa

Os eventos mais inesperados são o verdadeiro teste à qualidade das lideranças. A habilidade europeia para responder com seriedade e prudência à guerra será um teste à sua coesão interna e à sua relevância internacional.

A perigosa jogada de xadrez de Putin na Ucrânia

Putin estará convencido de que a todo o momento poderá aliviar a tensão, retirando tropas da fronteira, mas o que acontecerá se a situação escapar ao seu controlo?

Um salto no escuro

O problema das eleições antecipadas é que não há garantias de delas poder sair uma solução de governo estável, qualquer que seja o partido mais votado.

Não, não devíamos suspender as patentes das vacinas

O tema volta à agenda por estes dias, à medida que se aproxima uma nova ronda de negociações entre os Estados da OMC e numa altura em que a proposta conta já com o apoio do Parlamento Europeu, de Joe Biden e do diretor-geral da OMS.

A tensão entre a Rússia e a Ucrânia

O problema ucraniano está para durar. A Rússia não permitirá a presença de bases militares da NATO em território ucraniano, como não o permitirá no Cáucaso do Sul. Fará os impossíveis para não ser encurralada militarmente.

Ministra da Agricultura continua a acreditar na conclusão da reforma da PAC no primeiro semestre

“A grande maioria das propostas apresentadas pela presidência portuguesa, de aproximação às posições do Parlamento, foram confirmadas, com um espírito bastante construtivo das partes”, sublinhou Maria do Céu Antunes.

Presidência Portuguesa da União Europeia quer fechar negociações da PAC

Maria do Céu Antunes explicou aos membros do Conselho Europeu da Agricultura e aos deputados do Parlamento Europeu que “esta reforma permitirá construir uma agricultura mais verde e resiliente, com rendimento para o produtor e preços justos para o consumidor”.

Lipor exige reversão das medidas do Governo no sector dos resíduos sólidos

O sistema multimunicipal que reúne oito autarquias da Área Metropolitana do Porto e se dedica à recolha e tratamento de resíduos sólidos urbanos critica o Ministério do Ambiente e prevê perdas de receitas e aumento de custos na ordem dos 44 milhões de euros nos próximos cinco anos e a subida de tarifas a cobrar aos munícipes.
Ver mais artigos