obrigações do tesouro

A sorte está mal lançada

Um cenário em cima da mesa faz-nos recuar umas largas dezenas de anos: a estagflação, isto é, estagnação com inflação.

A queda do iene japonês

Se as expetativas de inflação mundiais continuarem a aumentar, existe uma grande probabilidade de o banco central do Japão abandonar a sua postura atual e deixar que as yields subam, valorizando o iene. 

Ministério das Finanças diz que “emissão de hoje comprova a confiança dos investidores”

“A nova emissão a 20 anos foi feita a uma taxa de 1,185% (reoffer yield), estando o diferencial de preço a pagar pela República, comparativamente com a Alemanha, em mínimos históricos”, refere o gabinete de João Leão.

Orçamento e risco-país

Seria tentador estabelecer uma relação de causa-efeito entre a crise política e subida do “risco país”.

Portugal quer angariar até 1.250 milhões de euros em dívida a 9 e 14 anos

No primeiro leilão do ano, o IGCP vai realizar dois leilões das Obrigações do Tesouro com maturidade em 18 de outubro de 2030 e 12 de outubro de 2035.

Inédito: Portugal paga menos de 1% para emitir obrigações a 10 anos

O IGCP emitiu 625 milhões em dívida com maturidade em 2029, tendo pago a taxa mais baixa de sempre: 0,639%. A agência liderada por Cristina Casalinho vendeu o mesmo montante em obrigações com prazo de 2034, com a taxa de alocação a descer para 1,052% face aos 1,563% num leilão em maio.

Portugal emite dívida a dez anos com a taxa de juros mais baixa de sempre

Portugal tem renovado mínimos históricos na emissão de Obrigações do Tesouro a 10 anos e a tendência manteve-se esta quarta-feira. O Tesouro emitiu emitiu 800 milhões nesta maturidade, com uma taxa de alocação de 1,059%, que compara com os 1,143% do último leilão.

Tesouro emite hoje até 1.250 milhões de euros em dívida a sete e dez anos

No mercado secundário as yields portuguesas a dez anos negoceiam em mínimos históricos. Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública realiza hoje leilão duplo de Obrigações do Tesouro (OT) a sete e dez anos, depois de ter pago a taxa mais baixa de sempre no financiamento nesta última maturidade no leilão de fevereiro.

Portugal financiou-se em 705 milhões com a taxa mais baixa de sempre na dívida a 10 anos

Além dos 705 milhões, o IGCP vendeu ainda 295 milhões de euros com maturidade de 15 anos, com uma taxa de 2,045%.
Ver mais artigos