Porlis

Liscont prossegue trabalho no porto de Lisboa apesar de greve de estivadores se manter desde 19 de fevereiro

Diogo Marecos reconhece, em declarações ao Jornal Económico, que a atividade da empresa foi afetada pela greve e pela fuga de armadores internacionais do porto de Lisboa, uma situação que o Grupo Yilport está tentar ultrapassar.

Porlis já contratou 40 novos estivadores e abre vagas para mais 15

Responsáveis da empresa de trabalho portuário do grupo turco Yilport adiantam que “os novos 22 trabalhadores portuários, à semelhança dos anteriores 18, terão formação profissional teórica e também prática, que terá inicio já na quarta-feira dia 22 de Abril, no terminal de contentores de Santa Apolónia”.

PCP quer o Estado a controlar empresas de trabalho portuário

Projeto de lei prevê que oa fim de dez meses de trabalho, os estivadores passaem a ingtegra ro quadro das ETP – Empresas de Trabalho Portuário de cada porto, no máximo de uma Empresa para cada infraestrutura. PCP acusa falência da AETP-L, no porto da capital, ser um processo “fraudulento”.

Porlis iniciou a contratação de 30 estivadores para o porto de Lisboa

A empresa de trabalho portuário admite vir a contratar um número de trabalhadores superior ao inicialmente previsto.

Porlis vai contratar 30 estivadores para o porto de Lisboa

A Porlis diz que vai dar preferência aos estivadores que estavam ao serviço da AETPL e que entretanto solicitou o processo de falência no passado dia 26 de fevereiro.