TSU

Melhorar os salários sem penalizar as PME

Creio que é importante complementar esta compensação pela subida do SMN com incentivos ao aumento da produtividade e da competitividade, dois indicadores com os quais a questão salarial se relaciona diretamente.

CIP quer isenção da TSU para empresas mais frágeis se o Governo “obrigar” a um aumento do salário mínimo

António Saraiva, presidente da confederação, revela, em entrevista à Antena1 e ao Jornal de Negócios, que os patrões vão juntar-se e passar a falar a uma só voz em matérias comuns, assumindo assim posições públicas conjuntas.

Redução temporária do IVA permitiria manter 46 mil postos de trabalho no setor da restauração

De acordo com o estudo encomendado pela AHRESP à PwC, a redução da taxa do IVA permitira reter 606 milhões de euros na tesouraria das empresas, sustendo a perda de até 10 mil empresas do setor da alimentação e bebidas.

AHRESP pede ao Governo para esclarecer se o subsidio de férias em lay-off está isento de TSU

Hoje no Briefing do Conselho de Ministros, o Governo disse que se o subsídio de férias for pago durante o período de lay-off está igualmente isento de TSU. Ficou por esclarecer se uma empresa decidisse antecipar o pagamento do subsidio, se estaria ou não abrangido pela isenção.

Compensar as empresas pela subida do salário mínimo

Importa que, em sede de concertação social, a valorização do SMN seja enquadrada numa agenda para o crescimento e a competitividade. Só assim se defenderá o interesse nacional.

O que faz falta

Se, num cenário adverso, os empresários portugueses conseguiram assinaláveis progressos, o que lhes falta para crescerem e para se afirmarem nos mercados internacionais? Falta a política fiscal.

Fraude fiscal legalizada

Se houve pagamentos ilícitos e hoje o Fisco equipara a fuga fiscal à lavagem de dinheiro em termos de sanções, foram legalizados por acordos coletivos de trabalho.

OE2019: CIP quer parcela da TSU a financiar a qualificação dos trabalhadores

A medida faz parte de um pacote de propostas apresentadas esta terça-feira pelos patrões na conferência “OE2019 – Conferência CIP”, realizada no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Mexidas na TSU não ficam na gaveta, só avançam em 2019

Taxa contributiva paga pelas empresas vai variar consoante os contratos de trabalho. Evolução positiva de emprego travou aplicação de medida em 2018. Formato ainda está por decidir, mas medida avança até ao final da legislatura.
Ver mais artigos