70% dos condutores que morreram alcoolizados tinham taxa que já é considerada crime

Um em cada quatro condutores que perderam a vida nas estradas tinha mais álcool no sangue do que o permitido pela lei. Sete em cada 10 tinham um nível que já é considerado crime.

No último ano, 70% dos condutores alcoolizados mortos tinham valores de álcool no sangue para que conduzir já fosse considerado crime, ou seja, uma taxa superior a 1,2 gramas de álcool por litro de sangue (g/l), revela o “Jornal de Notícias” na edição desta segunda-feira, 30 de julho.

A proporção de vítimas mortais de acidentes rodoviários que tinham uma taxa de álcool no sangue superior a 0,5 g/l aumentou 6,2 pontos percentuais no ano passado, face a 2016, para 35,5%. Em 2015, a proporção tinha sido de 31,8%.

Os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária que foram enviados ao jornal, são baseados em informações dadas pel Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses, que autopsiou 279 condutores, sendo que mais de metade não apresentava vestígios de álcool no sangue e 17 se encontravam dentro do limite legal.

No entanto, 99 ultrapassavam os 0,5g/l, sendo que quanto maior a quantidade de álcool no sangue, maior o número de vítimas. Dez c0ndutores morreram com menos de 0,9g/l, 20 no limite do valor considerado crime (1,2g/l) e 69 acima deste registo, que caso não tivessem perdido a vida teriam sido presos.

O maior número de condutores mortos, ou dos intervenientes em acidentes regista-se nas regiões Centro e Sul, seguido pelo Norte, sendo que nas duas primeiras o álcool chega a matar o dobro dos automobilistas, do que no norte do país.

Em relação ao número de peões o ano de 2017 registou a morte de 98 pessoas na sequência de acidentes de viação, sendo que 17 estavam com uma taxa de álcool no sangue acima dos 0,5g/l permitido por lei aos condutores.

Relacionadas

Condutores apanhados com excesso de álcool passam a ter avaliação médica

Esta medida faz parte do projeto piloto “Taxa Zero” da Divisão de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Sabe quantos bombons com licor pode comer sem acusar no balão? A PSP responde

Sob o título “sabia que demasiados bombons de licor podem influenciar a taxa de alcoolemia?”, a PSP relembra ainda que a presença de entre 0,5 e 0,8 gramas de álcool por litro (g/l) de sangue corresponde a contraordenação grave e multa até 250 euros.

GNR detém 144 condutores sob efeito do álcool

Nos últimos sete dias, período compreendido entre 18 e 24 de agosto, a Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve 393 pessoas em flagrante delito, incluindo 144 por condução sob efeito do álcool.
Recomendadas

José Luís Carneiro: Tráfico de imigrantes é “problema estrutural” e polícia intervém porque sociedade “falha”

“Não é um problema novo, é um problema estrutural”, em termos internacionais, afirmou hoje aos jornalistas o governante, no Comando Territorial de Évora da GNR, onde presidiu à inauguração do Espaço “Maria e António”, a renovada sala dedicada ao atendimento à vítima.

Violência doméstica. APAV junta-se à hamburgueria A-100 em ação de sensibilização

A hamburgueria compromete-se a doar à APAV um euro por cada sobremesa vendida esta sexta-feira e vai iniciar uma angariação de fundos na sua página de Instagram até ao final do ano, com o dinheiro a reverter a favor da associação.

Crime de violência doméstica representa metade das medidas de vigilância eletrónica

Entre 2.224 solicitações de vigilância através de pulseira eletrónica recebidas pela DGRSP de janeiro a outubro deste ano, 1.126 ocorreram no âmbito do crime de violência doméstica, correspondendo a 50,63% do total.
Comentários